Fake news fazem com que mulheres evitem mamografia e especialista desmente boatos sobre exame

Médica mastologista Josivânia Santiago (Foto: Divulgação / Hapvida). 
COMBATE AO CÂNCERAs notícias falsas estão fazendo com que muitas mulheres deixem de fazer mamografia, o que representa um grande perigo pois o exame auxilia no diagnóstico precoce do câncer de mama. No Dia da Mamografia (5 de fevereiro) a mastologista do Hapvida, Josivânia Santiago, afirmou que as fake news prejudicam muito, esclarece boatos e aconselha que em caso de dúvidas procure um especialista.

As fake news têm 70% mais chances de viralizar que as notícias verdadeiras e alcançam muito mais gente, segundo pesquisa do Instituto de Tecnologia de Masachussetts (MIT, na sigla em inglês), dos Estados Unidos. E aí que mora o perigo, pois as pessoas acreditam naquela informação que foi repassada com mais facilidade.

Uma notícia falsa que ganhou grande projeção foi a de que a mamografia vem aumentando o número de casos de câncer de tireóide. Um vídeo com um suposto especialista, falando de pesquisas que simplesmente não existem e ainda utilizando o nome do médico Drauzio Varela viralizou nas redes sociais trazendo essa informação. Muita gente recebeu, compartilhou e acreditou na história. A médica esclarece que o exame é seguro e não provoca câncer em outra parte do corpo.

“Todas as mulheres precisam fazer o exame independentemente de que na família existam casos ou não. A mamografia também deve ser feita em quem não tem nódulos ou alterações, para prevenção do câncer de mama precoce, nao palpável, pois possibilita a cura”, orienta a especialista, desmentindo mais duas notícias falsas.

Josivânia destaca que um estudo sueco publicado na Revista Câncer por Tabar e Cols mostrou que mulheres com câncer de mama que faziam a mamografia periodicamente apresentaram redução de 60% na taxa de mortalidade – 10 anos após o diagnóstico – em comparação àquelas que não faziam o exame regularmente. Vale lembrar que a Sociedade Brasileira de Mastologia preconiza a realização da mamografia anualmente para as mulheres a partir dos 40 anos.

Notícias falsas são combatidas com informação, segundo a médica. Ela desmentiu uma série de fake news que são espalhadas diariamente pelas redes sociais. Confira:  

  • O câncer também atinge pessoas com estilos de vida saudável. Mas, claro, que alimentação saudável e exercícios físicos regulares diminuem o risco de câncer e de doenças cardiovasculares;
  • Radiação emitida pelo exame é mínima e não faz mal
  • O tempo do exame é muito curto.
  • O silicone não aumenta o risco de câncer de mama. A mama pode ser examinada muito bem com a presença de silicone;
  • A quimioterapia e uma arma importante contra o câncer. Se seu médico prescrever ela, você mulher deve aceitar e tomar;
  • Mulheres jovens também têm câncer de mama. A incidência tem aumentado nesta faixa etária;
  • Existem várias alterações de mamografia que não correspondem ao câncer. A maioria não corresponde ao câncer.

Assessoria
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário