Zenóbio assina contrato para construção de aterro sanitário

FIM DE LIXÕES - O prefeito Zenóbio Toscano assinou na tarde desta segunda-feira (19), no auditório da agência do INSS (Instituto Nacional de Serviço Social) em Guarabira, o contrato para a construção do aterro sanitário que dará fim aos lixões e trará benefícios, tanto para a população guarabirense, quanto para os mais de 20 municípios que integram o Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos (CONSIRES), o qual Zenóbio é o atual presidente.
A solenidade contou com as presenças de gestores e representantes dos municípios que compõem o CONSIRES, a exemplo dos prefeitos Douglas Lucena (Bananeiras), Jeová José (Alagoinha), Joyce Renally (Duas Estradas), Adailma Fernandes (Serra da Raiz), Mônica Cristina (Pilõezinhos) e da empresa responsável pela construção do aterro, a ECOSOLO.

Renato Rocha, arquiteto da ECOSOLO, parabenizou o CONSIRES por mais esta importante etapa concluída, uma vez que é o primeiro consórcio do estado a pôr em prática a construção do aterro sanitário, dando uma destinação final à decomposição dos resíduos sólidos que não gere um impacto ambiental causado pelos antigos lixões, cumprindo assim todas as normas exigidas pelo PNRS.

Ao falar sobre o plano que compõe a gestão integrada dos resíduos, o engenheiro José Dantas de Lima, da ECOSAM, apresentou, entre outros temas, a realização de um diagnóstico apontando os principais problemas relativos a situação atual dos resíduos sólidos em cada um dos municípios integrantes do CONSIRES o estudo de prospecção e cenário que possam oferecer um melhor planejamento para melhoria da qualidade na prestação dos serviços.

Esse é mais um importante passo para que os lixões sejam definitivamente extintos, pois o aterro sanitário é o único método de disposição final de lixo. A implantação de aterros sanitários só traz benefícios para a sociedade, pois acaba com a agressão ao meio ambiente, evita o risco de poluição de mananciais ou de lençóis freáticos, impede a proliferação de vetores como moscas, baratas e ratos, além de possibilitar a utilização dos gases gerados pela decomposição da matéria orgânica como fonte de energia. (Com Codecom)

Da redação
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário