3,4% dos brasileiros não conseguem enxergar; Lei de Camila assegura Constituição em Braille nas bibliotecas

Foto: Divulgação / Assessoria. 
O Relatório Mundial sobre Visão da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que 2,2 bilhões de pessoas têm algum tipo de deficiência visual, sendo 1 bilhão com uma condição que poderia ser prevenida ou tratada. Ainda conforme a OMS, a incidência de deficiência visual é quatro vezes maior em países de rendas baixa e média do que nas nações mais ricas. No Brasil, 3,4% da população brasileira não consegue enxergar, o equivalente a 6,5 milhões de pessoas, segundo dados do último Censo. 

Nesta terça-feira (4), Dia Mundial do Braille, a deputada estadual Camila Toscano (PSDB) destacou a Lei 12.113/21, de sua autoria, que obriga as bibliotecas públicas da Paraíba a disponibilizar a Constituição Federal e a Estadual em Braille. 

Para a deputada, a disponibilidade das constituições em Braille contribui para a inclusão e possibilita que todos tenham acesso à Constituição. “É importante incentivar que toda a população conheça seus direitos para fortalecer a cidadania e o engajamento social na busca da concretização dessas premissas legais. As Constituições Federal e da Paraíba são as principais fontes dos nossos direitos e é essencial conhecê-las. Além disso, as bibliotecas são espaços para estudo e preparação para concursos, provas e seleções”, defendeu a deputada. 

De acordo com a Lei, as constituições devem ser atualizadas uma vez por ano, a fim de incorporar as alterações promovidas pelas emendas constitucionais. O descumprimento da nova legislação acarretará a responsabilização administrativa dos dirigentes das bibliotecas públicas, em conformidade com a legislação aplicável. 

Segundo a União Mundial de Cegos, apenas 5% dos livros em todo o mundo são transcritos para o Braille. Em países mais pobres, esse percentual cai para 1%. Para Camila, a iniciativa na Paraíba com as constituições em Braille representa uma alternativa a mais para que pessoas enquadradas nessas situações possam entrar em contato com a leitura, garantindo assim o conhecimento de temas tão essenciais na vida de todos, além de preparação para concursos e provas. 

O Braille – É um sistema de escrita e leitura tátil para as pessoas cegas inventado pelo francês Louis Braille. Ele ficou sem visão aos três anos de idade devido a um acidente que causou a infecção dos dois olhos. O sistema consta do arranjo de seis pontos em relevo, dispostos na vertical em duas colunas de três pontos cada, no que se convencionou chamar de “cela Braille”.  A diferente disposição desses seis pontos permite a formação de 63 combinações ou símbolos para escrever textos em geral, anotações científicas, partituras musicais, além de escrita estenográfica.

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário