Paraíba é maior produtor de leite de cabra do Brasil; Pedro destina emenda para fortalecimento da ovinocaprinocultura

Foto: Ascom / Divulgação. 
O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) destinou R$ 200 mil em emenda parlamentar para a Associação Paraibana de Criadores de Caprinos e Ovinos (Apacco-PB). O valor é referente ao orçamento de 2021 e busca fomentar o setor agropecuário do estado através do investimento na ovinocaprinocultura.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados no ano passado, em todo o país, o rebanho ovino e caprino apresentou um aumento em 2019, quando comparado a 2018. O Nordeste foi responsável por 94,6% do total de caprinos e 68,5% dos ovinos. Paraíba é o maior produtor de leite de cabra do País e tem uma média de 14 mil litros diários, mas já chegou a produzir até 18 mil litros diariamente.

Pedro destaca a importância econômica e social da criação de caprinos e ovinos e defende o investimento e valorização dos produtores que garantem, através dos animais, a sobrevivência e a garantia de renda. “Além dessa Associação, a Paraíba possui um grande potencial econômico a partir da criação de ovinos e caprinos. Um exemplo disso é a produção de leite de cabras, algo que defendo há muito tempo e infelizmente não há incentivo por parte do governo”, ressalta.

Pedro lamenta a falta de política de apoio aos produtores, além da insuficiência de assistência técnica e financiamento da atividade. “Essa emenda irá auxiliar de alguma forma a Associação, mas apenas ameniza e não resolve a questão. Com essa falta de atenção, o produtor local é sufocado e não possui incentivos para uma competição com o mercado internacional”, detalha.

Falta de consumo - Uma pesquisa feita pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) revelou que 12% dos brasileiros nunca comeram carne ovina e 27% dos que comeram, admitiram comer a carne poucas vezes no ano e 35% experimentaram uma vez na vida. Os motivos do baixo consumo da carne vão desde a pouca disponibilidade e inexistência de cortes apropriados. (*) Ascom

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário