Gervásio Maia confirma rompimento com ex-governador Ricardo Coutinho

Foto: Divulgação / PBAgora. 
O presidente da executiva estadual do PSB na Paraíba, deputado federal Gervásio Maia  confirmou durante entrevista concedida a imprensa nesta quinta-feira (28), o seu rompimento político com o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), que foi preso pela Operação Calvário, em dezembro de 2019, acusado de envolvimento com licitações fraudulentas, propina, entre outras irregularidades ocorridas na gestão dele.

Conforme o deputado, há tempo ele não é consultado sobre nada do partido e o distanciamento é constatado diante da realidade vivida dentro do PSB.

“Nós não construímos 2020 e em virtude dessa realidade houve um afastamento. A última vez que eu conversei com o ex-governador foi no dia anterior a convenção de João Pessoa”, disse.

Maia destacou que não participou das decisões que foram tomadas em relação ao pleito da Capital e que só ficou sabendo da candidatura de Ricardo Coutinho a prefeito de João Pessoa pelas redes sociais.

“Quando ele me enviou uma mensagem no final da tarde, eu já estava sabendo porque a decisão dele já era pública. Tentei conversar com ele  para mostrar minhas impressões  em relação a qualquer encaminhamento do partido, mas não fui recebido por ele”, informou

Contudo, o deputado continua no comando do PSB, mas ainda não tem uma certeza sobre a participação do partido no processo eleitoral de 2022 com candidatura própria, tendo ele como possível candidato na disputa pelo Governo do Estado.

“Eu acho que a construção desse processo tem que acontecer sob dois critérios: da coerência e da decisão colegiada. Eu preciso conversar com os que integram o partido, com os que estão na base dos municípios para a partir daí, fazer uma avaliação e estudar aquilo que puder fortalecer o projeto, mas acho muito cedo para falar sobre isso”, observou..

Sobre a possibilidade de apoiar a reeleição do governador João Azevedo, já que parte da bancada dos deputados do PSB está na base governista, Gervásio Maia disse que era muito complicado e difícil traçar qualquer prognóstico de composições futuras.

“Se eu fizer isso, eu estarei me precipitando e como presidente de um partido, quando se tem uma base de muitos aliados, você não pode fazer isso. Isso é um erro muito grande. Eu não posso cometer esse erro, mas nosso foco será construir um caminho de coerência”, atestou. (*) Paraibaonline


Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário