Guarabira: maioria de infectados por Covid-19 é de jovens e secretária de saúde mostra motivo: “relutam em permanecer em casa”

Fernando Macedo emitiu nota e apresentou gráfico com os números atualizados de casos confirmados de coronavirus por faixa etária no município. 
A secretária de Saúde de Guarabira, Fernanda Macedo. Foto: Marcos Ricardo / Codecom. 
A secretária de Saúde de Guarabira, Fernanda Macedo, apresentou na manhã desta terça-feira (2), por meio das redes sociais, um gráfico sobre os números atuais de pessoas infectadas pelo coronavirus no município. E, de forma preocupante, conforme os dados, os chamados jovens adultos lideram os casos confirmados. 

Em nota, a secretária lamenta ver as ruas cheias de pessoas que não cumprem o isolamento social, entre estas jovens em sua maioria, que podem levar o vírus para casa e contaminar familiares, inclusive parentes idosos. “Pergunta-se então qual a explicação para tal fato. Pois bem, são os jovens, que em sua inquietação juvenil, relutam em permanecer em casa, querem curtir a vida sem perder um segundo das alegrias fugazes, produzidas em comemorações que geram fatais aglomerações. Uma armadilha perigosa para si próprio e para seus familiares mais idosos. ”, diz Fernanda em trecho.

Veja a íntegra da nota

Apesar de todos os esforços empreendidos por profissionais de saúde e autoridades em todo o Brasil e, particularmente, aqui em Guarabira, observamos atônitos o crescimento do número de infectados pela COVID 19, como também de perdas irreparáveis.
Dias e dias de luta contra um inimigo invisível, observamos quase com incredulidade que o comportamento de muitas pessoas não muda.

Denúncias nos chegam referentes a pessoas que burlam a quarentena e o isolamento social; as ruas continuam cheias de transeuntes como se fossem dias normais.
Mas vamos à estatística, mostrada através de gráfico: temos um maior número de adultos jovens acometidos pela infecção. Pergunta-se então qual a explicação para tal fato. Pois bem, são os jovens, que em sua inquietação juvenil, relutam em permanecer em casa, querem curtir a vida sem perder um segundo das alegrias fugazes, produzidas em comemorações que geram fatais aglomerações. Uma armadilha perigosa para si próprio e para seus familiares mais idosos. São estes jovens que têm a ilusória certeza que vão passar pela pandemia sem sintomas agravados e que, assim, têm o passaporte para perambular pelas ruas, comemorar em lives, brincando com um vírus que pode ser letal.

Este comportamento insano está levando ao aumento de casos em idosos, a perdas de vidas pelas quais deveria haver zelo. São vidas de pais, mães, avós que estamos lamentando.

Responsabilidade, empatia, amor... São sentimentos e posturas que toda a sociedade deve trazer para si, para que esta doença não se espalhe mais, principalmente em grupos vulneráveis.

Não bastam as 9 mortes? Não bastam os que ainda seguem internos em hospitais? Não bastam os números de infectados? Acham tudo isso pouco?

Urge uma mudança de comportamento para que não venhamos a chorar todas as nossas lágrimas. Nesse momento, todos nós somos responsáveis!

Fernanda Macedo

Veja o gráfico de infectados por faixa etária

Fonte: SMS / PMG. 

@RedaçãoPlugados
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário