Camila sugere divulgação de panorama periódico de medidas adotadas para enfrentar a violência contra a mulher

A deputada estadual Camila Toscano (PSDB). Foto: Divulgação. 
SEGURANÇA - A deputada estadual e presidente da Comissão dos Direitos da Mulher na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Camila Toscano (PSDB), sugeriu, por meio de Requerimento, que o Governo do Estado estabeleça um panorama periódico, visando o estabelecimento de indicadores de avaliação e monitoramento das políticas públicas de enfrentamento à violência contra mulheres. Além disso, destacou a importância de se gerar dados informativos sobre esse tipo de violência em todos os municípios paraibanos.

“É preciso termos um panorama periódico a respeito das medidas adotadas pelo Estado para o enfrentamento da violência contra a mulher, com os respectivos diagnósticos/resultados durante o período de isolamento social em decorrência da pandemia causada pela propagação do coronavírus”, afirmou a deputada.

De acordo com Camila, sabe-se que o isolamento, a coexistência forçada e a instabilidade socioeconômica nesse período podem implicar no risco de maior exposição das mulheres à violência doméstica, como de fato tem ocorrido na Paraíba. Por isso, a deputada defende informações por meio de dados que contribuam para que o Estado adote as medidas necessárias para evitar as situações de violência.

O Disque 180, a Central de Atendimento do Governo Federal para casos de violência doméstica, registrou aumento de quase 10% no número de ligações e de 18% nas denúncias de violência, nas duas primeiras semanas do confinamento. No entanto, em muitas cidades, houve justamente o oposto: uma redução no número de denúncias.

“Neste momento precisamos sistematizar e cobrar a produção de informações que ajudem a compreender melhor e enfrentar à violência contra as mulheres, conforme previsto na Lei Maria da Penha. Esse pedido é urgente e necessário, tendo em vista o crescimento exponencial dos casos de agressões na Paraíba, principalmente com o isolamento social”, observou Camila Toscano. (*) Ascom

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário