Janela partidária: para onde vão os vereadores guarabirenses, e quem fica

A ‘janela partidária’ funciona para o político que tem mandato de vereador, como um ‘portal dimensional temporário’, daqueles de 'Guerra nas Estrelas', que se abre e se fecha em poucos momentos. E, desta feita, o interessado faz a sua transição, de forma legal, como rege a Justiça Eleitoral; livre de infidelidade partidária. Em 2020, quando as eleições acontecem em 4 de outubro, a janela se abre, de 5 de março a 3 de abril.

Na cidade de todos os guarabirenses, onde 15 (quinze) vereadores integram o poder legislativo, haverá os mesmos, na sua maioria, de deixar as suas atuais siglas partidárias, para ingressar noutra. Neste ano de eleição municipal, a saída acontece por: 1 – sobrevivência devido ao fim das coligações proporcionais, 2 – insatisfação com o partido ou com algum membro deste e 3 – interesse.

Veja quem são os parlamentares e para onde poderão migrar
  • Marcelo Bandeira (PSB) – Cidadania ou PDT
  • Tiago do Mutirão (PSDB) – Deve permanecer
  • Renato Toscano (PSDB) – Talvez vá para o PSL
  • Marcos de Enoque (PSDB) – Especula-se que saia e vá para o PDT
  • Zé Ismai (Podemos) – Vai para o MDB
  • Leonardo Macena (Cidadania) – Deve sair, talvez para o PSDB
  • Neide de Teotônio (Cidadania) – Se sair, vai para o PDT
  • Michelle Paulino (MDB) – Deve permanecer
  • Saulo de Biu (MDB) – Deve permanecer
  • Renato Meireles (PSB) – Vai para o Cidadania
  • Luciano do Bolo (Cidadania) –Talvez vá para o PSD
  • Jáder Filho (PSB) – Deve ir para o PROS
  • Wilsinho (PR) – Vai permanecer
  • Michel do Empenho (PRB) – Vai para o PDT
  • Elias Filho (PSDB) – Talvez vá para o PSL
  • Raimundo Macêdo (licenciado/PSDB) – Deve permanecer
  • Lula das Molas (licenciado/PSD) – Deve permanecer
  • Júnior Ferreira (licenciado/PSDB) - Deve permanecer
@RedaçãoPlugados
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário