Operação Calvário chega ao coração do Governo e mostra todo envolvimento do Executivo no esquema criminoso, afirma Camila sobre nova fase

A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) lamentou o desvio de recursos da saúde na Paraíba que está sendo revelada dentro da Operação Calvário. Para a parlamentar, a nova fase desencadeada nesta terça-feira (30) comprova que existe uma organização criminosa dentro do Governo da Paraíba responsável pelo desvio do dinheiro do povo. “A Operação chega ao coração do Governo com mandados de busca e apreensão no Centro Administrativo e na Procuradoria Geral e isso mostra todo o envolvimento do Executivo nesse esquema criminoso que rouba dinheiro da saúde”, destacou.

Segundo a parlamentar, essa nova fase deixa muito claro o que já tinha sido revelado e também seus envolvidos no desvio de milhões do dinheiro dos paraibanos que estão nos hospitais em filas esperando por atendimento, esperando por uma cirurgia. “É de causar indignação como essa organização socialista roubava o povo na maior cara de pau. Por outro lado, é muito bom ver que a Justiça está sendo feita por meio de homens e mulheres íntegras”, destacou.

Camila também observou o fato das exonerações de secretários serem publicadas no Diário Oficial do Estado no mesmo dia da deflagração da Operação Calvário. “João Azevêdo perdeu a oportunidade de ter mostrado ao povo da Paraíba que era um governador diferente. Ele deveria ter afastado os envolvidos bem antes, mas esperou até este momento, dando prova que também não colabora com as investigações do Ministério Público”, disse.

Nesta terça-feira, o Diário Oficial trouxe a exoneração, a pedido, do procurador geral do Estado, Gilberto Carneiro da Gama, e o secretário de Planejamento,Orçamento e Gestão, Waldson Dias de Souza, além da substituição da secretária de Saúde, Cláudia Veras, que passa a assumir a Secretaria Executiva Desenvolvimento e da Articulação Municipal.

O Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e a Polícia Rodoviária Federal encontram-se nas ruas cumprindo 18 mandados de busca e apreensão, além de um mandado de prisão de preventiva. Essa nova fase ocorre após a colaboração da ex-secretária de Administração Livânia Farias. Ela estava presa e foi solta após realizar delação.

Assessoria

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário