Clube dos Oficiais da PB contesta ‘ingerência’ do governo RC nas eleições da entidade



A direção do Clube dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar da Paraíba está contestando através de artigo publicado, nesse sábado, 17, em seu website oficial, provável ingerência do governo do estado, na campanha eleitoral para a escolha da nova diretoria da associação militar. De acordo com o atual presidente e candidato a reeleição, coronel Francisco, fotos oficiais que ocuparam as mídias recentemente, tiram as dúvidas e mostram o envolvimento do governo no pleito. O governador Ricardo Coutinho é acusado pelo coronel de intervir na campanha em favor da chapa adversária e estaria RC se reunido com integrantes da mesma. As eleições do COPM acontecem na próxima quinta-feira, 22.

Veja a íntegra da publicação

Diretoria contesta ingerência política nas eleições das entidades de classe

Se havia alguma dúvida quanto ao envolvimento do governo na eleição para a nova diretoria do Clube dos Oficiais e da Caixa Beneficente, elas foram dirimidas pelas fotos oficiais que ocuparam a mídia mostrando o encontro das entidades domesticadas com o chefe do executivo para comemorarem o que na verdade não têm o que comemorar, pois o adicional de inatividade trata de decisões judiciais ganha pelos policiais e grande parte já recebe em seus contra cheques.

Estamos na verdade esperando que o governo abra diálogo com todas as entidades, não apenas com Caixa Beneficente, entidade de absoluto controle do governo e que ainda leva a tira colo o candidato a presidência do Clube dos Oficiais. Mais uma vez queremos deixar muito claro que nosso foco seráo cumprimento da decisão judicial que determina a imediata implantação da bolsa desempenho para os companheiros inativos e pensionistas, vítimas dos maiores massacres da história de quase 200 anos da nossa corporação. Essa história negra construída nesses últimos 08 anos marcará uma página da nossa corporação.

Amigos e companheiros de entidades, precisamos voltar ao convívio das saudosas entidades do Cabo Oliveira, Subtenente Marcílio Braz, Tenente Romualdo, Coronel Maquir e coronel Francisco, sempre juntos e unidos nas suas reuniões de diálogos com todos os governos. Uma entidade não se reunia sozinha com o governo. Isto sim podemos chamar de negociação, e não o que temos assistido hoje, um arremedo de diálogo que em nada tem ajudando nossos policiais. Vamos sim, manter nossa entidade independente e comprometida com a nossa categoria.http://www.clubedosoficiaispb.com/2017/site/noticia/232

@redaçãoPlugados






Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário