Calvário: TCE demite auditor acusado de negociar propina com Orcrim desbaratada pelo Gaeco

Reprodução. 
Em dezembro de 2019, após a prisão do ex-governador Ricardo Coutinho, seu irmão Coriolano e mais 15 pessoas no âmbito da Operação Calvário 7, a mídia nacional vazou trecho de uma delação do lobista Daniel Gomes da Silva.

Na delação, Daniel revelava que a organização criminosa desbaratada pelo Gaeco havia contratado uma empresa de arapongagem (TrueSafety Inteligência e Contrainteligência) para confeccionar dossiês contra integrantes do Tribunal de Contas do Estado, com o objetivo de inibir a fiscalização da Cruz Vermelha gaúcha.

Segundo Daniel, Richard Euler Dantas de Souza, chefe da auditoria do TCE e encarregado de averiguar as contas da Cruz Vermelha, “não queria apenas identificar irregularidades, mas também exigir que empresas fossem contratadas pelo hospital”, e acabou sendo um dos alvos dos dossiês.

Bem, Richard Euler Dantas de Souza acaba de ser demitido por ato do conselheiro Fernando Catão, presidente do TCE. Richard foi acusado pelo Gaeco de ter cobrado propinas da Cruz Vermelha para atrapalhar as investigações do próprio TCE. Richard, aparentemente, entrou no esquema após ser chantageado com os dossiês.

Gravações – Diálogos entre Richard e Ricardo Elias Restum (Cruz Vermelha) gravados pelos investigadores, com autorização judicial, e revelam acertos de R$ 200 mil a título de propina, via pagamentos fictícios de contratos de alugueis de sua propriedade.

Segundo Daniel, o auditor alugou apartamentos para a Cruz Vermelha, pediu e recebeu propina e exigiu que o Hospital de Trauma fizesse um convênio com faculdade em que ele trabalhava: “A partir daí, os procedimentos relacionados ao Trauma passaram a ter uma tramitação diferente, bem mais lenta”.

Nos processos também consta: “Até o final de 2018, apenas as contas de 2011 tinham sido julgadas e as auditorias que foram feitas depois do evento relatado deixaram de ser tão severas e também não contaram mais com a participação do auditor Richard de Souza.”

ATO DE DEMISSÃO DO AUDITOR…


(*) Créditos: Blog do Helder Moura


Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário