Obesidade deve atingir 75 milhões de crianças em quatro anos e Camila defende ações nas escolas para conter problema

Foto: Divulgação / Assessoria. 
Os dados sobre obesidade infantil no mundo crescem com muita rapidez. Dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que em 2025 o número de crianças obesas no planeta chegue a 75 milhões. No Brasil, os índices também chamam a atenção. Registros do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que uma em cada grupo de três crianças, com idade entre cinco e nove anos, está acima do peso. Nesta quinta-feira (3), Dia da Conscientização da Obesidade Mórbida Infantil, a deputada estadual Camila Toscano (PSDB) lembrou que é preciso debater e criar políticas públicas que possam combater esse crescimento da obesidade na infância e destacou que a escola é instrumento para também cuidar da saúde desse público, através de merenda de qualidade, ensinamentos sobre alimentação saudável e acompanhamento, 

Como exemplo, a deputada lembrou do projeto de Lei 436/2019, de sua autoria e em tramitação na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), que cria o Cadastro de Obesidade Infantojuvenil nas Escolas de Rede Pública de Ensino da Paraíba. A deputada explicou que para a criação do cadastro, os alunos serão submetidos a avaliação para verificação do estado nutricional, triagem de risco para doenças crônicas e avaliação da capacidade física. 

“O cadastro conterá todos os dados dos alunos e terá início com informações coletadas no início do ano letivo. Com base na avaliação, a escola alimentará o cadastro de obesidade infantojuvenil, identificando os alunos com desvios do estado nutricional”, explicou Camila, completando que o cadastro, segundo o projeto deverá ser enviado às Gerências Regionais de Educação e de Saúde e integrarão um banco de dados único do Estado. Com base nesses dados, o Governo desenvolverá ações e formula políticas públicas com o intuito de solucionar esse problema. 

Obesidade – A obesidade infantil acontece quando a criança está com peso maior que o recomendado para sua idade e altura. As faixas de Índice de Massa Corporal (IMC) determinadas para crianças são diferentes dos adultos e variam de acordo com gênero e idade. Vários fatores contribuem para o crescimento da obesidade na população brasileira, em especial nas crianças. Um destes fatores é a mudança de hábitos alimentares ao longo das últimas décadas. Anteriormente, a população infantil tinha acesso a uma alimentação mais caseira, mais saudável. Hoje, há o consumo acentuado da comida industrializada.

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário