CRM-PB constata que hospital inaugurado pelo Governo do Estado em Cacimba de Dentro nunca foi utilizado

O Hospital foi inaugurado em 2018 pelo Governo do Estado. Foto: Divulgação / CRM-PB
O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) esteve, nesta segunda-feira (27), na cidade de Cacimba de Dentro, na microrregião do Curimataú paraibano, a 170 km de João Pessoa, e constatou que o hospital Luiz Olegário da Silva, inaugurado desde 2018, e que beneficiaria parte da população desta região, ainda não começou a funcionar. A unidade, com área de mais de 1,7 mil m2, possui respiradores, bloco cirúrgico e radiografia. No entanto, não recebe pacientes.

Atualmente, a assistência à saúde da população de Cacimba de Dentro é realizada no hospital municipal Isabel Moreira de Souza, que só tem um médico de plantão 24 horas, não possui respirador, não faz monitorização dos pacientes vítimas da Covid-19, não tem laboratório especializado, nem realiza exame de imagens. No entanto, no hospital Luiz Olegário da Silva, que recebeu um investimento de aproximadamente R$8 milhões, conforme dados do Governo da Paraíba, na época de sua inauguração, há dois respiradores na sala de estabilização, bloco cirúrgico completo, sala de radiografia com equipamentos e Central de Esterilização.

“Encontramos um grande paradoxo na cidade. Enquanto há um atendimento precário no hospital municipal, há um amplo e importante equipamento de saúde sem estar em funcionamento, inaugurado há quase dois anos. Faltam alguns reparos e instalação de alguns equipamentos, mas o hospital tem uma estrutura excelente para atender a população da região”, destacou o vice-presidente do CRM-PB, Antônio Henriques.

Cacimba de Dentro possui 17,2 mil habitantes e, desde o início da pandemia da Covid-19, já registrou 138 casos de infecção pelo novo coronavírus e um óbito, conforme dados da Secretaria Estadual de Saúde.

“O hospital municipal, que atende a população atualmente, não realiza o fluxo bidirecional dos pacientes com suspeita de Covid-19, ficando todos na mesma recepção. Se tiverem algum sintoma gripal ou suspeita de infecção pelo novo coronavírus são encaminhados para uma unidade básica, nos casos leves. Os casos moderados e graves ficam em isolamento para serem transferidos para a UPA de Guarabira, que é a única unidade de referência Covid para o Brejo paraibano”, explicou o conselheiro e membro da Comissão de Enfrentamento ao Coronavírus do CRM-PB, Bruno Leandro de Souza.

De acordo com informações do Governo da Paraíba, na época da inauguração do hospital, em dezembro de 2018, a unidade deveria possuir 28 leitos, sendo seis para observação adulto, dois leitos de observação pediátrica, sala de estabilização de pacientes graves, sala de procedimentos e pequenas cirurgias, inaloterapia e enfermarias climatizadas.

Após a visita desta segunda-feira, o CRM-PB vai elaborar um relatório que será encaminhado aos gestores estaduais e municipal, além do Ministério Público. (*) Ascom / CRM-PB

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário