Ibuprofeno pode agravar casos de Coronavírus e especialista ressalta quais anti-inflamatórios são mais indicados

Caixa de ibuprofeno. Foto: Divulgação / O Globo. 
ALERTA - Uma pesquisa apresentada pela revista científica ‘The Lancet’ levou a Organização Mundial de Saúde (OMS) a recomendar que pacientes com suspeita de infecção pelo novo Coronavírus (Covid-19) não devem usar ibuprofeno. A suspeita é que o medicamento pode agravar quadro clínico de indivíduos com a efermidade. O Ministério da Saúde também emitiu uma nota técnica alertando sobre o uso do medicamento. Diante de tal afirmativa, o médico infectologista do Hospital do Hapvida em João Pessoa, Fernando Chagas, explica quais os motivos desse possível agravamento.

“O estudo sugere que o medicamento apresente como característica perigosa a capacidade de aumentar a quantidade de receptores no corpo da pessoa, que são os receptores eca2, que é por onde o vírus entra. Com o aumento desses receptores a pessoa que tem contato com o vírus da Covid-19, consequentemente, poderia receber uma quantidade de vírus maior e até mesmo aumentar o risco de evoluir para uma forma grave da doença”, esclarece.

O especialista ressalta que existem outras medicações com efeito anti-inflamatório que podem ser usados de modo a contribuir com o tratamento da Covid-19 e destaca quais outros remédios, além do ibuprofeno, não são indicados.

“Se um indivíduo apresenta sintomas gripais deve evitar o uso de anti-inflamatório, dentre os quais, o ibuprofeno. Então medicamentos já utilizados como dipirona, paracetamol, os destinados a alergias. Porém, o mais interessante é que a pessoa tenha repouso e boa alimentação”.

Já em relação às pessoas que fazem o uso de corticóides ou qualquer outra substância medicamentosa que faz parte de um tratamento anterior, Fernando Chagas assegura que a medicação deve permanecer sendo utilizada e esta só pode ser suspensa segundo orientação médica, que já acompanha o caso.

Grupo de Riscos – Em termos de medicações, o infectologista Fernando Chagas assegura que algumas substâncias podem agravar o quadro clínico, principalmente, das pessoas que se enquadram no grupo de risco, que é composto por idosos, hipertensos, diabéticos e doenças crônicas.

“Se as pessoas que integram o grupo de risco fizerem uso do ibuprofeno aumenta ainda mais as possibilidades de ir para um quadro grave. Sem contar que esta medicação faz parte de uma classe de medicamentos que chamamos de anti-inflamatórios não esteroidais, que atacam o estomago e podem causar injúria renal”, frisa.
  
Por fim, o especialista aconselha que antes do uso de qualquer medicação o ideal é passar por uma consulta médica para saber quais substâncias medicamentosas podem ser ingeridas, obviamente, evitar o ibuprofeno e tomar as devidas medidas para evitar contrair o vírus. (*) Ascom Hapvida JP

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário