Delação de Leandro é bombástica e Assembleia precisa instalar CPI para apurar Máfia das Organizações Sociais, diz deputado

Tovar Correia Lima (PSDB) quer CPI da 'Máfia das Organizações Sociais' (Foto: Ascom / TCL). 
DINHEIRO PÚBLICOO deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) pediu para que a Assembleia Legislativa reveja a sua posição de não instaurar a CPI para apurar a Máfia das Organizações Sociais na Paraíba. “O ex-assessor do Governo do Estado Leandro Nunes fez uma delação bombástica e confirmou um esquema de desvio de dinheiro, inclusive que foi usado para o financiamento de campanha. Ele revela a participação direta da atual secretária de Administração Livânia Farias”, disse.  

Após a delação, Leandro teve o pedido de prisão revogado. Ele foi preso durante a Operação Calvário, desencadeada em fevereiro deste ano.

Na delação, Leandro afirma que seguia ordens da secretária Livânia Farias (Administração). Confirma para o Gaeco (Grupo Atuação Especial Contra o Crime Organizado) o recebimento de dinheiro em uma caixa no hotel do Rio de Janeiro, entregue por Michele Cardozo, secretária particular de Daniel Gomes da Silva (chefe da organização criminosa). Revela que o montante era de R$ 900 mil e que ficou surpreso por esperar “apenas” R$ 700 mil na caixa. Ele também revela que a mando de Livânia comprou uma casa em Sousa.  

Segundo ele, o dinheiro foi usado na campanha do então candidato a governador da Paraíba João Azevedo, num esquema que envolveu caixa 2  e pagamento de propina. Foram pagos, segundo ele, vários fornecedores da campanha ainda no Rio de Janeiro. Para alguns deles, o pagamento foi feito em dinheiro e pessoalmente, e até com um bônus, pois veio dinheiro a mais. Para outros, foi realizado depósito bancário feito numa agência de shopping. 

Ainda no depoimento, Leandro confirma ter comprado um celular um dia antes da “operação” e utilizado o aparelho para realizar as ligações estratégicas, e depois o descartado numa lata de lixo, supostamente para não deixar pistas. Tudo em comum acordo com Livânia.  

“Estamos tratando de uma organização criminosa, que desviou dinheiro do povo. Precisamos afastar essas pessoas do poder de imediato e é preciso que a Assembleia Legislativa também dê uma resposta à sociedade e investigue esse caso através de uma CPI”, defendeu.

Assessoria TCL

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário