Camila questiona fusão de empresas e cobra manutenção de investimentos para agricultura

Camila Toscano discursa em audiência pública que debate fusão de Emepa, Emater e Interpa.
(Foto: Divulgação / Ascom / CT). 
A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) questionou, nesta quinta-feira (7), durante audiência pública que discutiu a Medida Provisória (MP) 277 que estabelece a fusão da Emepa, Emater e Interpa criando a Empresa Paraibana de Pesquisa e Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), a forma de atuação da nova empresa e os investimentos que serão feitos na agricultura paraibana. A tucana também cobrou a manutenção dos empregos dos servidores dos três órgãos que serão extintos.

“A forma com que o Governo do Estado está fazendo essa fusão é que não foi correta. Muita coisa ainda falta ser explicado sobre a criação da Empaer, principalmente no que diz respeito a manutenção das pesquisas, dos investimentos e da manutenção do trabalho dos servidores. É preciso garantir a atenção aos pequenos agricultores e aqui estamos fazendo o nosso papel que é o de defender os interesses da Paraíba”, disse a deputada.

Camila Toscano questionou o novo diretor-presidente da Empaer, Nivaldo Magalhães, sobre alguns pontos obscuros, principalmente no que trata dos servidores. A deputada quis saber se os empregos serão garantidos já que a MP coloca que os servidores ‘poderão’ ser aproveitados. “Temos que ter essa garantia. A palavra ‘poderão’ deixa margem para muita coisa e isso vem causando pânico entre os funcionários”.

Sobre o questionamento da deputada Camila, Nivaldo Magalhães revelou que realizou uma reunião, no município de Patos, quando garantiu a manutenção dos empregos dos servidores das três empresas que serão extintas. “Dei minha palavra a eles e isso será cumprido. Conversamos antes com todos os servidores e também com os sindicatos”, disse.

Assessoria de Imprensa

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário