PB: Estado gasta R$ 1,3 bilhão com terceirização da saúde e oposição propõe "CPI da Máfia das Organizações Sociais"

Deputado Tovar (PSDB) solicitou informações ao TCE sobre contratações das OS's (Foto: Divulgação /Ascom / TCL). 
RECURSOS PÚBLICOSA gestão do PSB na Paraíba gastou até o ano de 2018 um total de R$1.385.053.490,87 com três organizações sociais ligadas à saúde. Observando os altos valores e o suposto envolvimento da Cruz Vermelha com desvio de recursos públicos em outros estados, o deputado Tovar Correia Lima (PSDB) solicitou informações ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) sobre a contratação das organizações Cruz Vermelha Brasileira filial Rio Grande do Sul, do Instituto de Psicologia Clínica, Educacional e Profissional (Ipcep) e do Instituto De Gestão em Saúde (Gerir). “Nós, como Poder Legislativo, precisamos investigar esses gastos, pois é muito dinheiro para termos um serviço de péssima qualidade. Nós da oposição, propomos a instauração de uma CPI para apurar a Máfia das Organizações Sociais”, disse.

Tovar defendeu que o Estado tem que ter mais transparência nas suas ações, principalmente com a contratação dessas organizações que receberam uma fortuna durante os últimos anos. “Investigações do Ministério Público apontam para desvios de recursos públicos e o governo não pode apenas vir a público dizer que tudo está bem na Paraíba. É preciso mostrar os números, os investimentos e, principalmente, o funcionamento dessas organizações na garantia ao atendimento da população. Por isso, estarei solicitando ao TCE informações mais detalhadas sobre esses repasses para assegurar que o dinheiro do povo esteja sendo utilizado da forma certa”, disse Tovar.

De 2011 a 2018, a Cruz Vermelha Brasileira filial Rio Grande do Sul, que gerencia o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, recebeu um total de R$ 916.224.111,45. Entre as organizações da saúde na Paraíba, esse foi o maior valor.

O Instituto de Psicologia Clínica, Educacional e Profissional que gerencia o Hospital Metropolitano de Santa Rita recebeu a quantia de R$ 187.086.507,33, de 2014 a 2018. E o Instituto De Gestão em Saúde que administra o Hospital Regional Deputado Janduhy Carneiro/ Unacon (Patos) recebeu R$ 281.742.872,09, entre os anos de 2013 a 2018.

“A Paraíba precisa saber se o dinheiro público está sendo utilizado da forma correta. Se o Governo da Paraíba tivesse mais transparência com suas ações, a situação poderia ser outra. Infelizmente temos um caso grave envolvendo assessores de secretários e até mesmo os secretários que estavam no comando das pastas no governo Ricardo Coutinho e que permanecem no governo de João Azevêdo. O governador precisa dar uma resposta rápida sobre o assunto, até mesmo afastando, nem que seja temporariamente enquanto permanecerem as investigações, dos citados na denúncia”, destacou Tovar.


Assessoria
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário