Pâmela vê equívoco e perseguição em ação do PSB que pede anulação de sua diplomação

A ex-primeira-dama Pâmela Bório vê como equívoco e perseguição, a decisão do PSB do ex Ricardo Coutinho em tentar anular sua diplomação como 2ª suplente de deputada federal. O partido alegou a Súmula 18, do Supremo Tribunal Federal, que trata da vedação a candidaturas de ex-cônjuges, que, em muitos casos, se separam de ficção para tentar burlar a lei.

A legislação impede, como se sabe, candidaturas de parentes até 3º grau (inclui esposo e esposa) em áreas de jurisdição onde já exista um mandato, como o caso das eleições de 2018, quando o governador era Ricardo Coutinho. Conforme a Súmula 18, dissolução de sociedade ou casamento deve acontecer uma eleição antes, para evitar as falsas separações com o propósito de concorrerem às eleições.

Mas, segundo Pâmela, “isso não se aplica ao caso, pois nossa dissolução foi pra valer, definitiva e irremediável”. Apesar do divórcio só vir a acontecer em março de 2015, “já havíamos nos separado em 2013, com a separação de corpos”. O atraso ocorreu, segundo a suplente de deputada, porque o ex-governador teria atrasado a conclusão do divórcio.

E cita casos, como o do deputado Damião Feliciano, que foi candidato, mesmo sua esposa, Lígia Feliciano, ser vice-governador e ter, em algumas ocasiões, assumido o governo do Estado. “Eu estou tranquila”, arrematou Pâmela.

O caso – Como se sabe, o PSB protocolou, há poucos dias, junto à Justiça Eleitoral, um pedido de anulação da diplomação da jornalista Pâmela Bório. Pâmela foi candidata a deputada nas eleições de outubro passado, obteve mais de 11 mil votos, e terminou diplomada como suplente da Câmara Federal de seu partido, o PSL, que elegeu o empresário Julian Lemos.

No seu pedido, o PSB diz: “Por seu Diretório Estadual da Paraíba, com fundamento no artigo 14, §7º da Constituição Federal e na Súmula Vinculante nº 18, do STF, interpõe o presente recurso contra expedição de diploma em face de Pâmela Monique Cardoso Bório, diplomada como 2ª Suplente de Deputada Federal, em 18 de dezembro de 2018.”

Blog do Helder Moura
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário