CNI/Ibope: 3 em cada 10 eleitores mudariam o voto para evitar vitória de candidato indesejado

A probabilidade de um eleitor mudar de voto para evitar que um candidato não o agrade é alta ou muito alta entre 28% dos eleitores, segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira (26). Já 48% responderam que a chance de trocar de voto é baixa ou muito baixa.

É ainda mais baixo o interesse do eleitor em trocar o voto para migrar para um candidato com mais chance de ganhar. Seis em cada 10 dizem que não trocam de candidato por um que está melhor nas pesquisas.

Esses resultados refletem outro dado da pesquisa. Os eleitores estão mais firmes em relação ao candidato que escolheram. Pesquisa CNI/Ibope de junho, por exemplo, mostrava que 27% dos eleitores haviam tomado uma decisão definitiva em relação ao seu voto. Esse índice hoje é de 43%.

Os eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) são os mais certos de seus votos. Os que dizem que não mudam de escolha são 55%. Fernando Haddad (PT) é o segundo candidato com mais eleitores decididos, 49%. O índice de decididos em Ciro Gomes (PDT) é de 31%, Geraldo Alckmin (PSDB) é de 26% e Marina Silva (Rede), de 22%.

A pesquisa mostra ainda que mais da metade (53%) dos eleitores que escolhem um candidato, o fazem por gostar dele e de suas ideias. Bolsonaro e Haddad são os presidenciáveis com quem o eleitorado mais têm afinidade com as ideias. 62% dizem gostar de Bolsonaro e suas ideias e 58% dizem o mesmo sobre Haddad.

Para esta sondagem, a CNI/Ibope ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios, entre 22 e 24 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-04669/2018.

Fonte: https://br.yahoo.com/noticias/cni-ibope-3-em-cada-190700137.html
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário