Deputado lamenta precariedade da segurança pública na PB e diz que concurso pode ficar prejudicado

NA TRIBUNAO deputado estadual Bruno Cunha Lima (PSDB) denunciou, nesta terça-feira (6), durante discurso na tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) a situação precária em que a segurança pública do estado se encontra. Segundo o parlamentar, João Pessoa é a 4° cidade brasileira com maior número de mortes a cada 100 mil habitantes. O tucano também alertou para a possibilidade do concurso público para a Polícia Militar não poder ser concretizado, pois este é um ano eleitoral.

De acordo com o deputado, o governador Ricardo Coutinho (PSB) anunciou a realização de um concurso que, possivelmente, não será efetivado, pois a prova terá seu edital lançado no dia 23 de março e o artigo 73 da Lei 9.504/97 proíbe nomeações, contratações ou qualquer forma de admissão nos três meses que antecedem a eleição e até a posse dos eleitos, sob pena de nulidade de pleno direito.

“Mais uma vez foi utilizada a fórmula dos concursos públicos para fins eleitorais. Ontem de forma irresponsável o governador fez uso de seu programa semanal para anunciar um concurso que provavelmente não será efetivado. Mais uma vez o uso eleitoral desses meios impede a efetivação de políticas públicas de segurança em nosso estado, enquanto isso, a cada dia, perdemos mais essa guerra para a criminalidade”, lamentou Bruno.

O tucano lembrou que em 2016 o governo também usou a segurança pública e a convocação de concursados de forma política. “Ricardo Coutinho destinou dos 320 convocados para a PM, 230(72%)  para a Capital, como forma de tentar eleger a candidata do partido Cida Ramos a prefeita de João Pessoa. Sem contar que a própria socialista antecipou o anuncio da convocação dos militares”, disse.

Para o deputado, o governo nega a realidade da segurança pública do Estado. “Quando analisamos a situação real em que a Paraíba se encontra, nos deparamos com números realmente alarmantes. Fica explicita a inanição administrativa por parte do governador Ricardo Coutinho e dos comandos da segurança pública, seja o secretário ou os comandantes das policias militar e civil”, disse o parlamentar.

Aprovados - O deputado criticou, ainda, o fato de que os aprovados no último concurso da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros de 2014 aguardam a convocação enquanto um novo concurso é usado com finalidade eleitoreira. Alguns, inclusive, passaram, inclusive, por curso de formação.


Assessoria 
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário