“Supersalário”: Camila classifica medida como aberração e teme que Ricardo passe a pedir hora extra

NA TRIBUNA -   A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) voltou a cobrar explicações sobre o “supersalário” do governador Ricardo Coutinho...

NA TRIBUNA - A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) voltou a cobrar explicações sobre o “supersalário” do governador Ricardo Coutinho e declarou ser temeroso o precedente criado pelo socialista, que por mais que haja amparo legal, para ela, trata-se de uma imoralidade, uma aberração. “Meu medo é que daqui a um tempo ele venha pedir direito a hora extra porque está trabalhando mais que 8 horas por dia; que ele venha solicitar o descanso semanal remunerado, porque trabalhou aos domingos. Vejam que absurdo que ele está fazendo e criando!”, comentou a deputada na tribuna da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (10). 

Ricardo Coutinho recebeu em quatro meses aproximadamente R$ 250 mil fruto do acúmulo de quatro férias, ‘vendidas’ por ele ao Estado, mais o acréscimo de 1/3 de férias e mais o salário do mês.  Camila Toscano denunciou que desse modo o governador está se comportando como um trabalhador celetista, abrindo um perigoso precedente para que todos os ocupantes de cargos públicos também venham a fazer o mesmo.

“Quem tem direito a férias vencidas, pagas em dobro e acrescidas de 1/3, é um empregado celetista. Se todos nós que ocupamos cargos públicos, viermos a recorrer a esse tipo de artifício, veja que absurdo iremos criar. Fica a minha indignação e o meu repúdio a essa decisão do governador por essa imoralidade. Por mais que ele encontre amparo legal, é uma imoralidade, diante a crise que a Paraíba vive”, reforçou. 

Explicações – A deputada afirmou que solicitou pedido de informações oficiais ao Governo do Estado sobre essa manobra adotada por Ricardo Coutinho e ainda se outro governador adotou postura semelhante. 

“Vou solicitar essas informações se na história da Paraíba algum governador já recebeu e já vendeu férias. O Estatuto do Servidor é claro quando diz que os servidores só podem acumular duas férias e no 23º mês ele é obrigado a tirar as férias para não receber a mais por isso. Porém, o governador está até vendendo férias do mandato anterior. Ricardo Coutinho está criando uma aberração na Paraíba!”, denunciou. 

Assessoria 

LEIA TAMBÉM

POLITICA 8202322437368796175

Postar um comentário

emo-but-icon

VÍDEO / trailer / Cinema

Em CARTAZ nos CINEMAS!

Curta nossa FanPage

PLUGADOS NO TWITTER

Mais Lidas

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

item