Header Ads


Após exoneração da 2ª GRE, Márcia repudia “Grupo politiqueiro” e diz não fazer parte de “Quadrilha/gang”; Nana assume em seu lugar

A saída de Márcia Amaral do comando da Segunda Gerência Regional de Ensino – 2ª GRE sediada em Guarabira, foi dada como certa. O governador Ricardo Coutinho assinou a exoneração da mesma, nesta sexta-feira, 3, e no mesmo ato nomeou Nana Rodrigues para gerenciar a referida pasta. Em uma nota de agradecimento e de desabafo ao mesmo tempo, postada em sua conta no Facebook, a ex-gerente da 2ª GRE fala em seu repudio a um ‘grupo politiqueiro’, o qual ela diz, que não fazia parte e nem de ‘quadrilha/gang’ – subentendendo-se haver uma divisão no ninho dos girassóis guarabirenses.

“Enfim, agradeço a todos que confiaram em mim e deixo a minha repudia ao Grupo politiqueiro que em nenhum momento me senti parte pq nunca fiz e nem farei parte de quadrilha/gang, sou uma técnica que com competência e decência venho conduzindo minha vida profissional e tenho a consciência tranquila que não prejudiquei ninguém e que as minhas mãos e ações só serviram para construir e fortalecer”, destampou Márcia.

Márcia é esposa de Raminho Talibã; amigo pessoal e entusiasta da ideologias de Ricardo, desde que o atual governador era vereador de João Pessoa. Outros agentes políticos guarabirenses, que estão com Coutinho passaram a lhe apoiar a partir das eleições de 2010. 

Ela, Márcia assumiu as secretarias de Planejamento e da Mulher na gestão anterior do prefeito de Guarabira Zenóbio Toscano, porém quando houve o rompimento político entre Toscano e Coutinho devido as eleições de 2014, Amaral por ter votado em Ricardo, pediu exoneração da PMG e resolveu ficar com o governo girassol.

Nana Rodrigues tem ligações com o ex-vereador Beto Meireles e há quem diga que ela e Márcia não se toleram. E foi justamente a possível algoz de Márcia que assumiu a sua ex-pasta.

Os motivos que levaram à exoneração de Márcia Amaral não foram oficialmente esclarecidos. Que Grupo politiqueiro  é esse e que Quadrilha/gang é essa que Amaral cita? Conforme a lei, quadrilha ou gang se refere a grupo que age criminosamente. Amigos e colegas de trabalho quando souberam da saída forçada de Márcia do comando da 2ª GRE se solidarizaram com a mesma através de mensagens nas redes sociais. Veja a íntegra do que escreveu Márcia em relação a sua exoneração pelo governo do Estado.






Nenhum comentário