Após pedido de prisão, TRE dá mais 10 dias para secretárias apresentarem documentos em processo que pede cassação de Ricardo

- corregedor José Aurélio acata pedido de secretárias de RC
(Foto: Reprodução /TRE-PB.)
Um dia após a coligação ‘A vontade do povo’, encabeçada pelo PSDB, pedir a prisão de secretários do governador Ricardo Coutinho (PSB) por crime de desobediência, o corregedor regional eleitoral, José Aurélio da Cruz, acatou o pedido das secretárias de Administração do estado, Livânia Farias, e da Saúde, Roberta Abath, e estendeu por mais dez dias o prazo para que elas apresentem os dados requeridos em diligências pela Justiça Eleitoral.

A corregedoria regional eleitoral, responsável pelos processos que pedem a cassação do governador Ricardo Coutinho, solicitou as seguintes informações à secretária de Administração: cópia da folha de pagamento de todos os servidores públicos— a qualquer titulo “efetivo, comissionado ou temporário (neste caso seja qual for a determinação que eventualmente possa ter como, por exemplo, “codificados ‘, protempores e prestador de serviço) — referente aos últimos seis meses (antes da eleição de 2014), de forma analítica, em mídia digital, especificando a data de admissão, eventual demissão/exoneração, remuneração (incluído neste caso todos os valores recebidos seja a que titulo for) e local de exercício, bem como especificando, mês a mês, as alterações, em relação ao mês anterior, quanto as admissões/exonerações e a variação numérica de vantagens e benefícios remuneratórios.

No ofício, a secretária solicitou que o TRE envie à Secretaria a petição para que os dados requeridos sejam encaminhados à Justiça.

” Para que se compreenda o que deixou de ser atendido, necessário se faz conhecer o teor da referida petição. Dessa forma, solicita-se à Vossa Excelência o envio da petição mencionada, permitindo, com isso, caso reste caracterizado que algum documento ou informação tenha deixado de ser enviado, o efetivo cumprimento da requisição”, sustentou.

A coligação ‘A vontade do povo’ considerou as alegações da auxiliar do chefe do executivo estadual como um subterfúgios malfadados.

“Despreza e descumpre novamente a decisão judicial, condicionando o cumprimento, de forma intimidatória, ao envio de documentação por parte de Vossa Excelência, como se aquela ordem já não fora suficiente’, disse a defesa do PSDB.

Já para a secretária de Saúde, foram  requeridas as seguintes diligências: a informação se o referido órgão realiza pagamento de servidor em folha de pagamento separada da Secretaria de Administração e, em caso positivo, que seja informado, de forma analítica, em mídia digital, data de admissão, eventual demissão/exoneração, remuneração (incluindo neste caso todos os valores recebidos seja a que titulo for) e local de exercício, bem como especificando mês a mês anterior, quanto as admissões/exonerações e a variações numéricas de vantagens e benefícios remunerações(nos últimos seis meses anteriores a eleição de 2014) 
A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) pede a cassação do governador por supostas nomeações e exonerações de servidores no período eleitoral. (Blog do Gordinho)
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário