Modelo brasileira morre após cair do 12º andar de prédio no Chile

Namorado afirmou que a brasileira cometeu suicídio, mas família contesta. A polícia investiga o que levou à queda. 

Foto: Reprodução / Instagram. 

Uma modelo brasileira morreu semana passada em Santiago, no Chile, após cair do 12º andar de um prédio. Nayara Vit não resistiu aos ferimentos da queda na região nobre de Las Condes.

A morte de Nayara aconteceu na última quarta-feira, mas a imprensa chilena noticiou somente na sexta. A brasileira era famosa no país por ter participado do programa de televisão “Toc Show”.

Nayara era natural de Cuiabá, no Mato Grosso, e vivia há 16 anos no Chile, onde chegou para trabalhar como modelo de passarela. Diante do sucesso obtido, decidiu permanecer no país.

Diversas mensagens de luto foram postadas em homenagem a Nayara. Apresentadora de sucesso na televisão chilena, Vanessa Borghi utilizou as redes sociais para despedir-se da amiga brasileira.

“Depois, haverá tempo para analisar o que aconteceu, chorar e desabafar. Uma pessoa muito próxima se foi. Só peço que a família dela seja forte e fique unida", escreveu. “Não entendemos o porquê do ocorrido, só sabemos que vamos sentir saudades. Descanse em paz, Nayara.”

Namorado fala em suicídio, família nega

Depois de divorciar-se no fim do ano passado, a brasileira namorava com o empresário Rodrigo Del Valle Mijac. O executivo teria sido a única testemunha da queda de Nayara. Ele alega que estava sentado na sala da residência quando a modelo passou correndo e se atirou da sacada.

A família de Nayara, porém, contesta a versão do rapaz. Seu irmão, Guilherme Vit, afirmou ao jornal Campo Grande News não acreditar em suicídio e explicou que a modelo não tinha histórico de depressão.

“Pelo contrário, sempre foi muito alegre. O aniversário dela foi no dia 3, ela falou com todo mundo pelo telefone, estava feliz. Minha mãe conversou com ela no dia que aconteceu. Ela estava muito feliz porque a academia ia reabrir, fazendo planos para o futuro, falando do cotidiano”, declarou.

Guilherme explicou que a família contratou um escritório de advocacia no Chile para acompanhar as investigações. “Fizeram a autópsia no corpo e perícia no apartamento, mas ainda não saíram os laudos.” (*) Yahoo


Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário