No mês do orgulho LGBTQI+, Rafafá, primeiro parlamentar gay assumido do Nordeste, preside sessão na Câmara Federal

Foto: Divulgação / Assessoria. 
O deputado federal Rafafá (PSDB) presidiu parte da sessão ordinária desta terça-feira (1º) na Câmara dos Deputados que analisou vetos presidenciais de números 9, 13, 14 e 21 de 2021. “Momento histórico, hoje, no mês do São João, o mês mais importante para o povo nordestino, um gay, no mês do Orgulho LGBTQI+, presidiu o Congresso Nacional. O primeiro gay assumido do Nordeste, da Paraíba, que ocupa esse lugar de autoridade, eu me sinto muito feliz por essa oportunidade”, comentou.

Em seu discurso na Tribuna, o parlamentar ressaltou ainda o sentimento de alegria de ter estado na Presidência da sessão em parte da votação que derrubou os vetos relacionados à Lei Aldir Blanc, que permitem o pagamento de auxílio emergencial a artistas durante a pandemia de covid-19. A decisão permite aos Estados transferir recursos a municípios autorizados em 2020 ao longo de 2021.

“Tenho muito orgulho de fazer parte desse momento. No nosso ‘país’ Nordeste, como eu costumo me referir a esses nove estados, esse dinheiro não poderia chegar em momento mais certo. Só o Nordeste perde, atualmente, cerca de R$ 3 bilhões sem a realização das suas festas juninas. Campina Grande e Caruru juntas deixam de arrecadar mais de meio bilhão de reais sem os festejos de São João”, frisou.

Rafafá ressaltou que os trabalhadores do setor da cultura e eventos são os mais prejudicados com a crise econômica provocada pela pandemia do coronavírus, e sentem ainda mais os efeitos nesse período do ano. “Os artistas, artesãos, quem faz a comida de milho, todos os envolvidos, sem a festa junina nesse momento, sofrem bastante com essa situação. A derrubada do veto traz esperança de novo para quem faz cultura nesse país”, comemorou.

Apelo – O paraibano aproveitou o espaço para pedir ao Governo Federal que seja mais célere na aquisição de vacinas para a imunização da população brasileira contra a covid-19 e pediu a população que faça sua parte e não descuide dos cuidados sanitários.  

“Já passamos de 400 mil mortes em todo o Brasil e todos os dias a gente perde pessoas queridas. Só quem perde alguém próximo sabe o que é isso. Por isso, eu aproveito essa tribuna para dizer que precisamos de mais vacinas urgentes. Precisamos salvar vidas. Hoje só quem salvam vidas são as vacinas. Aproveito para pedir a você que, escondido, vai a festas. Fique em casa. Precisamos nos cuidar e cuidar do próximo”, pediu.  (*) Assessoria


 

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário