Lei de autoria de Camila: crianças e adolescentes agora podem denunciar abusos e violência durante aulas remotas

Foto: Divulgação / Assessoria. 
A Paraíba agora passa a contar com a Lei nº 11.993/2021 que inclui os canais de atendimento do ‘Disque 100’ para denúncia de abusos e violência contra crianças e adolescentes durante as teleaulas, videoaulas e aulas ao vivo na internet. A propositura é da deputada estadual Camila Toscano (PSDB) e tem o objetivo de proteger esse público. 

“Esse é um avanço para o acesso das crianças e adolescentes aos canais de denúncia, pois facilita que as ocorrências cheguem até os canais oficiais, ajudando a combater a subnotificação e zelando pela proteção desses jovens. É nosso dever divulgar esses canais e é direito das crianças saber da existência deles”, pontuou. 

Camila destaca que durante a pandemia, muitos jovens podem ter ainda mais contato com os agressores, o que aumenta os casos de agressão e torna o grupo ainda mais vulnerável. O acesso durante a aula à informação sobre a denúncia pode ser um instrumento de proteção e garantia da integridade física.

O projeto estabelece ainda que, em caso de existência de outros canais de denúncia no Estado, estes deverão ser informados à rede de educação para similar divulgação que deve ser feita de forma clara e inteligível, assegurando assim a melhor publicização para crianças e adolescentes quanto aos canais de denúncia. 

“A divulgação deverá ser realizada de forma pedagógica, atendendo a devida adequação do estudante”, prevê a legislação, que garante ainda que o Estatuto da Criança e do Adolescente deverá ser respeitado.

Aumento de denúncias - A Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, que mantém o Disque 100, contabilizou 95.252 denúncias de maus-tratos contra crianças e adolescentes em 2020. Em 2019, foram 86 mil. Segundo dados do Governo Federal, mais de 70% dos crimes de abuso sexual contra crianças e adolescentes registrados pelo Disque 100 nos últimos meses foram cometidos na casa das vítimas, no ambiente familiar.

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário