Deputados aprovam projeto de Camila que obriga empresas contratadas pelo Governo a reduzirem danos ambientais

Foto: Divulgação / Assessoria. 
Os deputados estaduais aprovaram nesta terça-feira (4) o projeto de Lei 1.968/20, de autoria da deputada Camila Toscano (PSDB), que institui na Paraíba a Política de Integridade com o Meio Ambiente. A iniciativa tem o objetivo de obrigar empresas contratadas pelo poder público, que explorem atividades com potencial de causar problemas ao meio ambiente, a adotarem medidas para reduzir danos ambientais em projetos realizados. 

O projeto tem como objetivo defender interesses coletivos de prevenção e tratamento contra possíveis desvios de condutas ou atos ilícitos praticados por empresas que tenham contratos com Governo da Paraíba. A matéria tem foco nas pessoas jurídicas selecionadas em procedimentos licitatórios e que terão que garantir a adoção de condutas éticas com a sociedade e com o meio ambiente, proporcionando o uso consciente dos recursos públicos. 

“No Brasil, as tragédias de Mariana e Brumadinho representam modelos de desconformidade ambiental e de violação à integridade socioambiental. Nestes dois episódios há relações controversas a serem dirimidas em relação às condições de cumprimento dos padrões mínimos ambientais e de segurança das barragens administradas pela empresa exploradora. Por isso, temos que garantir segurança ao meio ambiente do nosso estado”, destacou Camila. 

De acordo com Camila Toscano, a Política de Integridade com o Meio Ambiente tem como objetivo ainda proteger a administração pública dos atos lesivos que resultem em prejuízos ao meio ambiente, causados por irregularidades ou desvios de conduta que atente às diretrizes de Educação Ambiental e da Política Nacional e Estadual de Meio Ambiente. Ainda garante a execução dos contratos em conformidade com a legislação ambiental. 

As empresas, de acordo com a matéria, devem implementar padrões de condutas éticas, capacitações, ações educativas, análise periódica de riscos, aberturas de canais de denúncia de irregularidades, entre outras medidas.

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário