Calvário: ministro do STJ notifica Justiça Federal da PB sobre prazo para Ricardo Coutinho, e mais cinco apresentarem defesa

O ministro do STJ Francisco Falcão é o relator da Operação Calvário. Foto: Divulgação.  
O ministro Francisco Falcão, relator da Operação Calvário junto ao Superior Tribunal de Justiça, acionou a seccional da Justiça Federal da Paraíba, solicitando informações sobre os feitos envolvendo o ex-governador Ricardo Coutinho, além do conselheiro Arthur Cunha Lima (Tribunal de Contas do Estado).

Também integram a lide o ex-procurador Gilberto Carneiro, o ex-deputado Arthur Cunha Lima Filho, o advogado Diogo Maia da Silva Mariz e o lobista Daniel Gomes da Silva. Todos são apontados pelo Gaeco de integrarem uma organização criminosa que foi desbaratada durante a Operação Calvário, em sua fase 7 (Juízo Final).

O ministro também despachou nos autos, concedendo um prazo de mais 15 dias para que os acusados possam apresentar sua defesa nos autos. O processo foi levado ao STJ diante da prerrogativa de foro do conselheiro Arthur Cunha Lima, que encontra-se afastado do TCE, por decisão do próprio Falcão.

Calvário – A Operação Calvário 7 investigou e apurou o desvio de R$ 134,2 milhões em recursos da Saúde, e importou na prisão do ex-governador Ricardo Coutinho e mais 16 pessoas. Posteriormente, com a soltura dos envolvidos, foram decretadas medidas cautelares, inclusive o uso de tornozeleiras.


(*) Créditos: Blog do Hélder Moura

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário