Diogo é sobrenome eleito prefeito de Guarabira após quase três décadas da eleição de Pimentel

Fotos: Imagens de campanha / Arquivo. 
Após quase 30 anos, exatos 28, quando Guarabira elegeu o advogado Jáder Soares Pimentel para governar seus destinos, de 1993 a 1996 – o município volta a eleger outro sobrenome diferente, o empresário Marcus Diogo de Lima, para o quadriênio mandato de 2021 a 2024.

Jáder, que antes tinha tentado chegar a prefeitura por duas vezes, sem sucesso, sendo derrotado pelo engenheiro Zenóbio Toscano (1882) e pelo ex-prefeito Roberto Paulino (1988); logrou êxito na terceira disputa (1992) quando venceu por uma diferença de 95 votos uma principiante candidata, a ex-primeira-dama Léa Toscano, esposa do então deputado estadual Zenóbio Toscano, o qual tinha como aliado o então prefeito em fim de mandato, Roberto Paulino.

Marcus Diogo, por sua vez, com o apoio da ex-prefeita Léa e da deputada Camila Toscano, sagrou-se prefeito eleito de Guarabira no último domingo, dia 15/11/2020, numa bela homenagem ao prefeito Zenóbio Toscano (in memoriam), enfrentando nada mais nada menos do que o chefe da tradicional família Paulino; o ex-governador Roberto Paulino, com apoio do governo do estado, derrotando, desta feita, o pai do deputado Raniery Paulino por uma diferença de quase 4 mil votos. E o terceiro colocado o advogado Teotônio Assunção, por quase 8 mil votos de diferença.

No espaço de tempo, de quase três décadas, os destinos dos guarabirenses ficaram sobre os governos de Toscano e Paulino, respectivamente, sendo Léa Toscano (1997 a 2000 e 2001 a 2004), Fátima Paulino (2005 a 2008 e 2009 a 2012) e Zénobio Toscano (2013 a 2016 e 2017 a 2020); cada qual administrando da sua maneira, dando contribuição ao município com suas ideologiais, visões e particularidades. Sendo destaque dado as gestões de Toscano, pela visão de futuro progressista e de ter se preocupado com o resgate cultural e histórico dos guarabirenses, bem como, da construção de obras de grande porte, dando um upgrade na cidade.

Vale destacar que no final do último mandato da prefeita Fátima Paulino, o vice-prefeito Josa da Padaria assumiu a gestão de forma interina durante os últimos 6 meses de 2012, em virtude do afastamento da titular por licença médica. O mesmo aconteceu no terceiro governo de Zenóbio Toscano que se afastou das suas atividades laborais em junho de 2019 para tratamento médico devido ser acometido por um AVCI, foi quando o então vice-prefeito Marcus Diogo tomou posse por várias vezes do executivo interinamente; até assumir a titularidade do cargo em junho de 2020 com o falecimento do ‘Gato Preto do Povo’, como era chamado carinhosamente o tucano Zenóbio por seus eleitores.

Além de Jáder Pimentel (eleito em 1992), de lá para cá também disputaram o poder executivo municipal guarabirense, porém sem sucesso, outros sobrenomes sem ser Toscano e Paulino, sendo Socorro Brito, Geraldo Costa, Aluísio Paredes, Hildebrando Nascimento, Beto Meireles (2x), Téo Filho, Josa da Padaria (2x), Belarmino Mariano, Teotônio Assunção, até surgir Marcus Diogo (eleito em 2020).

@PlugadosEditorial

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário