Merenda escolar: Projetos de Camila garantem bons hábitos e segurança alimentar nas escolas da PB

Foto: Divulgação. 
A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) destacou nesta quarta-feira (21), Dia Nacional da Alimentação na Escola, projetos de Lei de sua autoria que garantem a manutenção de bons hábitos e segurança alimentar para estudantes paraibanos. A parlamentar destaca que uma boa alimentação é fundamental para o desenvolvimento da capacidade cognitiva dos alunos, ajudando no rendimento escolar e proporcionando outras melhorias à saúde. 

Um dos projetos destacados por Camila é o 436/2019 que institui nas escolas da rede pública de ensino do Estado da Paraíba o cadastro de obesidade infantojuvenil, onde fica assegurada a realização da avaliação antropométrica, para verificação do estado nutricional e triagem de risco para doenças crônicas não transmissíveis, além da avaliação da capacidade física nos alunos das escolas da rede pública de ensino do Estado. 

O cadastro de obesidade infantojuvenil conterá o nome do aluno, data de nascimento, as medidas decorrentes da avaliação antropométrica, os testes das capacidades físicas, endereço residencial, telefone e identificação dos pais ou responsáveis, além de outras informações que a unidade escolar julgar relevantes. 

O outro projeto, o 861/2019, estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da alimentação saudável e determina a exclusão de alimentos ultraprocessados e açucarados nas escolas públicas e particulares no âmbito do Estado da Paraíba. De acordo com o projeto, fica proibida a comercialização, no ambiente escolar, dos alimentos ultraprocessados e açucarados. As cantinas escolares terão um prazo de 180 dias para se adequarem às determinações se a matéria virar lei. 

Já o projeto de Lei 209/2019 obriga a contratação de nutricionista nas escolas da rede privada de ensino integral. A matéria estabelece que as unidades escolares são obrigadas a manter em seu quadro de pessoal (seja através de contratação, convênio ou parceria) um profissional de Nutrição para elaborar, acompanhar e avaliar o cardápio da alimentação escolar, com base no diagnóstico e nas referências nutricionais. 

Segundo o projeto, os profissionais devem priorizar alimentos produzidos na própria região das unidades escolares. A alimentação especial destinada aos alunos que possuam algum tipo de patologia será definida pelo nutricionista, mediante orientação médica.

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário