Bolsonaro descarta criação do Renda Brasil: "Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final"

Foto: Reprodução / Twitter. 
O governo federal desistiu nesta terça-feira (15) de criar o programa Renda Brasil. O próprio presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou a decisão através de um vídeo nas redes sociais.

“Acordei hoje surpreendido por manchetes em todos os jornais… Eu já disse há poucas semanas que jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar ao paupérrimos. Quem porventura vier propor para mim uma medida como essa, só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”, afirmou o presidente.

Segundo a analista de política da CNN Basília Rodrigues, a decisão foi adotada após avaliação de que a PEC do Pacto Federativo poderia congelar o pagamento de aposentadorias por dois anos para o financiamento do novo programa.

Ainda segundo Basília, no lugar do Renda Brasil, o governo defende desonerar todos os setores da economia para baratear a geração de empregos. Mas essa decisão depende do Congresso.

Por parte do governo jamais vamos congelar salário de aposentados”, afirmou Bolsonaro no vídeo. “Bem como jamais vamos fazer com que o auxílio para idosos e pobres com deficiência seja reduzido para qualquer coisa que seja. E última coisa, para encerrar: até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”.

Segundo o analista de política da CNN, Igor Gadelha, o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem atribuído nos bastidores a desistência do Renda Brasil à "guerra da comunicação". A interlocutores, ministro da Economia diz que essa guerra é "muito destrutiva" e tem "pouco bom senso".

Ainda segundo Gadelha, após o vídeo de Bolsonaro, a permanência do secretário especial da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, no cargo é considerada incerta. Ao anunciar que desistiu do Renda Brasil, o presidente disse que membros do governo que propuserem a medida poderão levar "cartão vermelho". (*) CNN Brasil

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário