Polícia resgata 16 aves silvestres, uma jiboia e apreende arma após denúncia na Capital

Conforme o tenente Aragão, do Batalhão de Polícia Ambiental, a residência tinha características de que estaria sendo usada como depósito de materiais roubados e furtados. 

Foto: Divulgação / BPAmb /PM-PB. 
Dezesseis aves silvestres e uma cobra da espécie jiboia foram resgatadas, nessa terça-feira (18), graças a uma denúncia da população que levou as equipes do Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb) até uma casa, na comunidade do Aratu, no bairro Costa do Sul, em João Pessoa. Na residência, a PM encontrou os animais mantidos em cativeiro. Outras 15 aves foram encontradas mortas por maus tratos, possivelmente por falta de água e comida.

No local, ninguém foi encontrado, mas foi feito um relatório sobre a situação e o responsável pode responder por crimes de maus tratos, de ter espécies da fauna silvestre em cativeiro sem autorização e também por posse ilegal de arma, já que uma espingarda também foi apreendida na residência.

Conforme o tenente Aragão, do Batalhão de Polícia Ambiental, a residência tinha características de que estaria sendo usada como depósito de materiais roubados e furtados. “A princípio, a denúncia feita ao CIOP (Centro Integrado de Operações Policiais), através do número 190, era de que os animais silvestres estavam sendo mantidos em cativeiro e quando a guarnição comandada chegou, flagrou, além das cenas de maus tratos, a presença de objetos danificados, a exemplo de celulares e aparelhos de som de carro, bem como uma bicicleta que foi apreendida. No local, também foi feita a apreensão de uma arma, resgatadas 16 aves silvestres e uma jiboia”, disse.

As aves que foram salvas eram das espécies saíra-amarela, coleira, tico-tico, sibito, sabiá, sanhaçu, canário-da-terra e caboclinho. Elas, juntamente com a cobra, foram levadas para a sede do BPAmb e serão devolvidas à natureza.

A arma e outros materiais foram levados para a Central de Flagrantes, no Geisel. (*) Secom-PB

 

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário