Juiz do Trabalho, em Guarabira, determina reabertura de abatedouro da Guaraves

A fachada do abatedouro Bom Todo da Guaraves, em Guarabira. Foto: Rerpodução / Google Street View. 
O juiz Antônio Cavalcante da Costa Neto, da Vara do Trabalho, com sede em Guarabira -, determinou nessa segunda-feira (25) o fim da interdição do abatedouro Bom Todo, do Grupo Guaraves. A indústria alimentícia foi fechada temporariamente por agentes fiscais da Superintendência Regional do Trabalho na Paraíba, na semana passada, os quais alegaram não está cumprindo a empresa as exigências de proteção dos empregados em razão da pandemia do coronavirus.

A reabertura se deu após a empresa através de recurso/petição da sua defesa, direcionado à Vara do Trabalho, expor que as adequações exigidas pelos fiscais foram cumpridas, entre estas, a testagem antecipada para Covid-19 nos funcionários.

Em seu despacho, o juiz Antônio Cavalcante, além disso, explica ser a indústria do ramo tido como essencial, em especial da comercialização de produtos avícolas, que são [de preços] mais acessíveis para ‘os mais pobres’.

“Ademais, como observado na inicial, a atividade da empresa é essencial, com a produção de proteína de aves, acessível aos mais pobres, e por isso muito importante para a alimentação de nossa população, sem contar o que a paralisação pode provocar na cadeia de produção, desde a escassez de produto no mercado até a destinação das milhares de aves não abatidas, o que representa problemas de saúde pública, ambientais e econômicos, que só tendem a se agravar se a paralisação das atividades da empresa continuar indefinidamente.”, diz juiz

“Acolhido parcialmente o pedido principal, na forma como foi direcionado na inicial, ou seja, de suspensão da interdição pela demandada, sob pena de multa diária, resta prejudicada a análise do pedido feito alternativamente, de autorização da retomada das atividades com os funcionários imunizados. ”, defere Dr. Antônio Cavalcante.


Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário