Assembleia realiza sessão especial para debater ações que protegem, auxiliam e motivam mulheres

A propositura foi da presidente da Comissão dos Direitos da Mulher, a deputada Camila Toscano. Foto: Ascom
‘Sororidadade: Mulheres apoiam mulheres’. Este foi o tema da sessão especial realizada pela Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), nesta terça-feira (10), em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. A propositura foi da presidente da Comissão dos Direitos da Mulher, a deputada Camila Toscano (PSDB),e reuniu autoridades e representantes da sociedade civil para tratar de projetos e ações que protegem, auxiliam e motivam o público feminino. 

Durante discurso, Camila Toscano destacou que 70% da sua produção tem temáticas femininas, visando promover igualdade de oportunidades, acesso a serviços e combate à violência. “Estou na Assembleia Legislativa há seis anos. Aqui tenho desenvolvido projetos e trabalhado em diversas áreas, mas não posso negar que tenho um olhar diferenciado para causas em prol e defesa da mulher paraibana”, destacou.  

No que diz respeito à violência contra mulher, a tucana ressaltou a necessidade de púnicos mais efetiva e tratamento para agressores. “É preciso tratar a mente do agressor porque o homem que acredita que deve agredir uma mulher só pode ser doente”, frisou. Ela lembrou que na Paraíba, 2019 foi o ano que registrou o maior número de feminicídios, levando em consideração os casos registrados desde 2015. “Tivemos no Brasil uma mulher morta a cada sete horas”, lamentou.  

Durante a sessão especial foram abordados temáticas como cidadania, fim da violência, espaço na política, acesso à saúde, sexualidade, equidade salarial e tantas outros, todos com o foco na mulher.  

A coordenadora das Delegacias Especializadas da Mulher no Estado da Paraíba, Maísa Félix, afirmou que a violência contra mulher precisa ser debatido. “Nós precisamos discutir o machismo que nos mata aos poucos”, enfatizou. 

Mesa - A sessão foi presidida por Camila Toscano. Também integravam a mesa as deputadas Pollyanna Dutra, Jane Panta e Dra. Paula. Participaram ainda da sessão a presidente da Associação Promocional do Poder Legislativo, Eliane Galdino; procurador da justiça Valberto Lira; a juíza Graziela Queiroga; a coordenadora das delegacias especializadas da mulher no Estado da Paraíba, Maísa Félix; a secretária da Secretaria da Mulher da Diversidade Humana, Lídia Moura; a prefeita de Alagoinha, Maria de Zé Roberto e a presidente da Comissão de Combate a Violência Contra Mulher da OAB, Izabella Ramalho.  

Dados - As discussões também foram pautadas sobre o papel das mulheres na política e as dificuldades enfrentadas nesse ramo de atuação. Um levantamento realizado pelo Instituto Alziras mostra que 53% das mulheres que estão na política já sofreram assédio ou violência pelo simples fato de ser mulher e outras 30% revelaram ter sofrido assédio e violências simbólicas no espaço político. 

 A pesquisa mostra ainda que 23% disseram ter sido desmerecidas pelo trabalho realizado e por suas falas. Um total de 22% das entrevistadas responderam que a sobrecarga do trabalho doméstico dificulta a participação na política. (*) Ascom
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário