Camila: “Uma teia de corrupção se formou dentro do Governo da Paraíba. Onde estará o núcleo?”


OPERAÇÃO CALVÁRIO - A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) classificou o esquema de corrupção no Governo do Estado, investigado pela Operação Calvário, como uma grande teia, que se ramifica em toda a estrutura do Poder Executivo Estadual. A parlamentar subiu à tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba nesta quarta-feira (9), para falar sobre a 5ª fase da Operação, deflagrada nesta manhã.

 “Uma teia de corrupção se formou dentro do Governo do Estado. Já são cinco Secretarias investigadas na Operação Calvário. Onde estará o núcleo dessa teia?”, questionou a deputada, dizendo que antes se pensava que o esquema o grande corrupção estava apenas na Saúde, mas a cada etapa, mais pastas são envolvidas, levando a crer que os atos ilícitos estão presentes em toda a estrutura administrativa estadual.  

“Hoje acordamos novamente com a Paraíba nas manchetes nacionais. Quando pensamos que já tínhamos visto de tudo, a Operação vai mais longe. Antes dizíamos que a Operação apurava um desvio na Saúde, hoje temos os esquemas revelados também no Planejamento, na Educação, na Administração e no Turismo. São cinco Secretarias. Cinco secretários que já receberam na sua porta a visita da Polícia Federal. É vergonhoso na nossa Paraíba ser destaque nacional com esse escândalo de corrupção. Ao invés de sermos destaque pela beleza das nossas praias, pelas riquezas do nosso Estado e pela hospitalidade da nossa gente, somos destaque pelo desvio de mais R$ 1,2 bilhão”, lamentou.

Para Camila, além das perdas com recursos públicos que deveriam ser investidos em obras e ações para a população, o mais vergonhoso é ver que o governador João Azevedo mantém essa estrutura na sua gestão. “Secretários atuais, não são secretários da gestão passada. E João mantém todos na estrutura do Governo. É vergonhoso! Eles não estão sendo afastados por escolhas administrativas, estão sendo tirados porque a Polícia Federal está prendendo secretário”, comentou.

Operação – A Operação Calvário foi deflagrada em dezembro de 2018 para investigar esquema de Corrupção no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Nesta quarta-feira (9), a quinta fase da Operação foi deflagrada,  para combater desvio de recursos públicos estaduais, corrupção e lavagem de dinheiro, em três cidades paraibanas (João Pessoa, Santa Rita e Mataraca) e em mais quatro Estados (São Paulo, Alagoas, Paraná e Rio de Janeiro). Foram três mandados de prisão e 25 de busca e apreensão.

Na Paraíba, a ação foi desenvolvida pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e a Comissão de Combate aos Crimes de Responsabilidade e à Improbidade Administrativa (Ccrimp), órgãos do Ministério Público da Paraíba, juntamente com a Controladoria-Geral da União (CGU), Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Assessoria

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário