Operação Calvário deixa cada vez mais claro fraudes nas eleições de 2018, diz deputado Tovar

O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) disse, nesta quinta-feira (2), durante sessão ordinária na Assembleia Legislativa (ALPB), aberta pelos deputados de oposição, que a prisão de uma das coordenadoras financeiras da campanha eleitoral do atual governador deixa cada vez mais clara a utilização de recursos de Caixa 2, com dinheiro desviado da saúde, em benefício da então candidatura socialista.

“A prisão da servidora Maria Laura Caldas de Almeida Carneiro é mais uma prova de que parte dos recursos desviados pela Cruz Vermelha podem ter ido parar nas campanhas eleitorais. O Ministério Público faz um excelente trabalho, mostrando à Paraíba que o governo socialista fazia socialismo interno, beneficiando meia dúzia de aliados”, destacou o deputado.

Tovar disse ainda que a quarta fase da Operação Calvário chegou ao Governo da Paraíba com o cumprimento de mandados de busca e apreensão de documentos e computadores em prédios públicos. “Documentos da Secretaria de Administração e da Procuradoria do Estado foram levados para análise e nos próximos dias teremos novos desdobramentos. Isso é mais uma prova  que a administração estadual está envolvida diretamente no esquema de corrupção”, afirmou.

Além de Tovar, estiveram presentes os deputados Camila Toscano (PSDB), WallberVirgolino (Patriota), Moacir Rodrigues (PSL), Raniery Paulino (MDB), Cabo Gilberto e Anderson Monteiro (PSC).

A Operação Calvário investiga núcleos de uma organização criminosa comandada por Daniel Gomes da Silva, que é acusado por desvio de recursos públicos, corrupção, lavagem de dinheiro e peculato, através de contratos firmados junto a unidades de saúde da Paraíba, com valores chegando a R$ 1,1 bilhão, possuindo atuação em outros estados, como o Rio de Janeiro.

Assessoria
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário