Bolsonaro retira população LGBT de diretrizes de Direitos Humanos

Ainda não está claro qual estrutura ficará responsável pelos cidadãos LGBT. 
Bandeira que simboliza a comunidade LGBT  (Foto: Divulgação / Internet). 
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou uma medida provisória que retira a população LGBT das diretrizes de Direitos Humanos. A MP foi publicada no Diário Oficial desta 4ª feira (2.jan.2018) e detalha as mudanças na estrutura do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, chefiado por Damares Alves.

De acordo com o conteúdo publicado no DOU, constitui área de competência das pasta políticas destinadas à promoção dos direitos da mulher, família, adolescente, juventude, idoso, pessoa com deficiência, população negra, minorias étnicas, sociais e do índio.

Ainda não está claro qual estrutura ficará responsável pelos cidadãos LGBT. Antes da alteração, havia no então Ministério dos Direitos Humanos a Diretoria de Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais.

Leia como era antes da mudança:
Fornecido por Poder360 Jornalismo e Comunicação S/S Ltda. 
Está sobre a alçada do atual Ministério das Mulheres, da Família e dos Direitos Humanos as seguintes secretarias:

Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres;
Secretaria Nacional da Família;
Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente;
Secretaria Nacional da Juventude;
Secretaria Nacional de Proteção Global;
Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial;
Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência;
Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa;
Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial;
Conselho Nacional dos Direitos Humanos;
Conselho Nacional de Combate à Discriminação;
Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente;
Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência;
Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa;
Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura;
Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura;
Conselho Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais;
Conselho Nacional de Política Indigenista;
Conselho Nacional dos Direitos da Mulher;

Conselho Nacional da Juventude.

Poder360



Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário