Camila Toscano: “Sob hipótese alguma, eu faço aliança ou voto em João Azevêdo”

Foto: Divulgação / Assessoria. 
A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) reagiu com veemência sobre a possibilidade de não haver disputa da oposição ao governo do Estado nas eleições do próximo ano ou que haja um entendimento entre o ex-prefeito Romero Rodrigues (PSD).

“Meu entendimento é único e claro. A gente fica na oposição. Sob hipótese alguma voto no governador João Azevêdo e já defendi isso dentro do partido”, declarou.

Ela referenda que o PSDB tenha candidato, pois não vai voltar atrás sobre tudo o que tem dito, especialmente, na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

“A Paraíba precisa mudar. A minha região é esquecida pelo governo. As pessoas estão sofrendo com a falta d’água e a culpa é do governo. A culpa é da Cagepa que foi inerte esse tempo todo. Eu não posso brincar com as pessoas e dizer que eu estava errada. Eu tenho um legado a defender que é do meu pai (Zenóbio Toscano, in memorian)”, enfatizou.

A deputada disse esperar pela decisão de Romero Rodrigues, pois ele ainda não bateu o martelo com o governador e que continua em apoiar o nome dele. “O PSDB vai ter a postura de esperar. Se houver uma aliança entre o PSD com João, a possibilidade do PSDB ir é zero. Eu não acredito no governo João, que foi eleito com o dinheiro de corrupção comprovado pelo Ministério Público”, atestou.

Camila Toscano acredita que a oposição não cometerá o mesmo erro das eleições passadas, que ficou marcando passo com uma decisão tardia sobre o nome de um candidato.

“Errar é humano, repetir, não. O PSDB tem um prazo longo. Ainda falta um ano para as eleições. Já se fala em composição de chapa quando se tem 10 meses para as convenções, mas o PSDB não vai esperar e deste mês não passa. A oposição vai mostrar o seu candidato”, disse. (*) Paraibaonline


Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário