Setembro Amarelo: 37% dos jovens já foram vítimas de cyberbullying; psicóloga destaca que prática compromete saúde mental

Foto: Divulgação / Ascom HapvidaJP. 
Cyberbullying é o bullying realizado por meio digital e pode ocorrer nas mídias sociais, plataformas de mensagens e de jogos, sempre com o objetivo de assustar, enfurecer, humilhar ou envergonhar as vítimas. O Brasil é o quarto país com maior prática de bullying no mundo, segundo pesquisa do Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef). Dos jovens brasileiros com idades entre 13 e 24 anos, 37% afirmaram já ter sido vítimas de cyberbullying. 

Nesta sexta-feira (10), data que marca o Dia de Valorização da Vida, a psicóloga do Sistema Hapvida, Paula Clarissa Bispo, afirma que o cyberbullying pode causar danos psicológicos sérios e levar as vitimas a extremos, como aconteceu com o filho da cantora paraibana Walkyria Santos, que tirou a própria vida após sofrer ataques cibernéticos e com a estudante Júlia Rebeca, de 17 anos, que teve um vídeo íntimo seu compartilhado nas redes sociais e acabou cometendo suicídio. 

Para a psicóloga clínica, é importante destacar os prejuízos que são causados à saúde mental por conta do cyberbullying. “Podemos citar o sentimento de incapacidade, de inferioridade, tristeza constante, exaustão, desistência de atividades que costumava fazer, podendo desencadear ainda problemas como transtorno de ansiedade, depressão e alguns casos levar o indivíduo ao suicídio”, elenca. 

Bispo reforça que é bem comum as pessoas que passam por esse tipo de situação não pedirem ajuda por se sentirem constrangidas ou acreditarem que não serão ouvidas. “Portanto, se você perceber alguém passando por esta situação ou você mesmo não hesite em buscar ou oferecer ajuda. O cyberbullying, ainda que seja uma coisa nova, traz prejuízos à saúde mental que pode precisar de acompanhamento médico, psiquiátrico ou psicológico durante muito tempo”, alerta. 

Famosas vítimas de cyberbullying - Os casos de cyberbullying vêm se tornando mais frequentes e são ‘disfarçados’ atrás de memes e humor questionável, que acabam sendo compartilhados. Muitos são os casos de famosos alvos dessa prática: a cantora Gretchen é atacada constantemente pelos procedimentos estéticos que realiza; Bruna Marquezine foi atacada por ser “magra demais” e Preta Gil por postar fotos de biquíni “acima do peso”; Gracyanne Barbosa vive sendo bombardeada por ser muito musculosa.

Legislação – Na Paraíba, a Lei 12.031/2021 foi sancionada no fim de agosto deste ano e recebeu o nome de Bruno Santos em alusão ao filho da cantora paraibana Walkyria Santos, que tirou a própria vida após sofrer ataques cibernéticos. A iniciativa tem por finalidade a realização de ações educativas direcionadas aos estudantes dos ensinos fundamental e médio da rede pública estadual e privada buscando orientar crianças e jovens sobre como proceder diante dos ataques. Nacionalmente, a Lei 13.185/2015 institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (bullying) em todo o território nacional. 

Setembro Amarelo – A campanha Setembro Amarelo, que tem por finalidade promover a valorização da vida, é realizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em parceria com o Conselho Federal de Medicina desde 2014. Ao longo destes sete anos a campanha vem sendo desenvolvida em todos os estados brasileiros. 

Dados – De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) cerca de 96,8% dos episódios de suicídio estão relacionados à transtornos mentais não diagnosticadas, não tratadas ou tratadas de forma inadequada. Nesse sentido, em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e o abuso de substâncias. Só no Brasil são registrados, anualmente, mais de 13 mil suicídios e mais de um milhão no mundo. (*) Ascom Hapvida

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário