Padre confessa que mentiu sobre sequestro e diz ter sofrido extorsão; religioso foi indiciado

Segundo a polícia, pessoas haviam feito uma cobrança de R$ 50 mil na redes sociais e, alegando desespero, ele decidiu tirar a própria vida

O padre Gilmar. Foto: Reprodução / TV Tambaú. 
A Polícia Civil informou nesta segunda-feira (26) uma nova linha de investigação sobre o caso do padre José Gilmar que ficou desaparecido na Paraíba. Ele foi encontrado vivo às margens de uma rodovia no Litoral Sul do estado, na sexta-feira (16).

De acordo com o delegado Luciano Soares, o padre confessou ter mentido sobre ter sido sequestrado e afirma ter sofrido extorsão. Segundo ele, o religioso será autuado por falsa comunicação do crime.

O delegado disse ainda que pessoas haviam feito uma cobrança de R$ 50 mil na redes sociais e, alegando desespero, ele decidiu tirar a própria vida.

De acordo com Luciano, o padre disse que viajou sozinho no carro para o Litoral Sul e tentou se afogar. Ele ficou dois dias dentro do carro, orando, e decidiu se entregar à polícia.

"Ele confessou que havia mentido no primeiro depoimento e que não foi sequestrado. Na verdade, o relato do mesmo é que ele estava sendo extorquido. Pessoas haviam feito a cobrança de R$ 50 mil na redes social e, num gesto de desespero, ele decidiu dar cabo a própria vida. Ele disse que viajou sozinho no carro para o Litoral Sul, tentou se afogar. Ficou dois dias dentro do carro, orando, e decidiu se entregar à polícia", explicou.

Foto: Flávio Fernandes / RTC. 
Nova investigação

"Nós estamos fechando esse inquérito com o indiciamento pela falsa comunicação do crime. A delegada responsável será Emília Ferraz. A nova versão, sobre a extorsão, será investigada", pontuou. (*) Créditos: T5


Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário