CGU identifica mais 10 mil paraibanos como beneficiários irregulares do Auxílio Emergencial

Sede da CGU, em João Pessoa. Foto: Kleide Teixeira / Jornal da Paraíba. 
Um novo cruzamento de dados realizado pela Controladoria-Geral da União (CGU) em parceria com o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) revelou mais de 10 mil novos nomes de paraibanos que teriam fraudado o Auxílio Emergencial do Governo Federal.

De acordo com os dados, 10.526 servidores públicos aparecem na lista de beneficiados indevidos que, somados aos outros 26.249 servidores identificados anteriormente, provocaram pagamento irregular de quase R$ 50 milhões de reais.

Os servidores identificados, caso sejam apontados como culpados, além de ter que devolver o dinheiro ainda podem responder por crimes de falsidade ideológica ou peculato e pagar multa.

Auxílio emergencial – O auxílio emergencial, também apelidado de “Coronavoucher” é um benefício criado pelo Governo Federal com o objetivo de minimizar os impactos econômicos causados pela pandemia da COVID-19. Sob a Lei de nº 13.982/2020 o auxílio prevê repasse financeiro mensal no valor de R$ 600,00 (seiscentos reais), por tempo limitado, aos cidadãos brasileiros enquadrados como trabalhadores informais e de baixa renda, microempreendedores individuais ou como contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). (*) ParaibaRadioBlog


Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário