William Bonner emociona o público com discurso sobre o coronavírus no 'JN'

Willian Bonner. Foto: Reprodução / TV Globo. 
William Bonner emocionou os telespectadores com um discurso impactante no “Jornal Nacional”, na noite dessa quarta-feira (6). Logo na abertura do telejornal da Globo, o apresentador chamou atenção para o número de mortos confirmados no Brasil pelo novo coronavírus - os dados oficiais mostram que até ontem haviam sido registrados mais de 8.000 óbitos. Ele pediu pediu que as pessoas se conscientizem sobre o problema e que se protejam contra o vírus. Após o discurso, o nome de Bonner tornou-se um dos mais comentados do Twitter. 

“Você já nem deve lembrar, mas na quinta passada eram 5.901 mortos. Os números vão aumentando desse jeito, cada vez mais rápido, vão dando saltos. E vai todo mundo se acostumando, porque são números. Um número muito grande de mortes de repente, num desastre, sempre assusta. As pessoas levam um baque", disse o jornalista.

Na fala, Bonner relembra outras tragédias, como a de Brumadinho, em janeiro de 2019, e os ataques terroristas ao World Trade Center, em 11 de setembro de 2001. "Mas, quando as mortes vão se acumulando, ao longo de dias e semanas, como acontece agora na pandemia, esse baque se dilui e as pessoas vão perdendo a noção do que seja isso”, afirmou ele.

"Oito mil vidas acabaram. Eram vidas de pessoas, amadas por outras pessoas. Pais, irmãos, filhos, amigos, conhecidos. Aí o luto dessas tantas famílias vai ficando só pra elas, porque as outras pessoas já não têm nem como refletir sobre a gravidade dessas mortes todas, que vão se acumulando todo dia”, ressaltou Bonner.

O jornalista e apresentador finalizou o discurso dizendo que a ficha para algumas pessoas só vai cair quando ocorrer um óbito de alguém próximo: "Hoje, são oito mil e quinhentas. Amanhã, a gente não sabe. Quando é assim, o baque só acontece quando quem morre é um parente, um amigo, um vizinho ou uma pessoa famosa", encerrou. (*) O tempo

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário