Para João Azevêdo, impeachment dele e de Lígia seria uma “excrescência”

O governador João Azevêdo. Foto: Francisco França / Secom-Pb. 
O governador João Azevêdo (Cidadania) classificou de “excrescência” o processo de impeachment protocolado contra ele e a vice-governadora, Lígia Feliciano (PDT). O pedido da oposição foi registrado na última quarta-feira (5), na abertura dos trabalhos na Assembleia. Sobre o assunto, o gestor concordou com o deputado federal Damião Feliciano (PDT). Em entrevista recente, o pedetista classificou de golpe a proposta apresentada por 12 deputados da oposição.

“Primeiro por que não se faz o impeachment de duas pessoas ao mesmo tempo. Seria uma coisa inusitado mundialmente. Segundo, para que haja um processo de impeachment é preciso que haja crime de responsabilidade e evidentemente que não existe isso. Então, a proposta é absolutamente desprovida de qualquer condição jurídica. Aquilo é uma excrescência e cabe (a crítica) obviamente e foi isso o que o deputado colocou, que depende das atitudes”, ressaltou.

O governador reproduziu as palavras de Damião, com críticas ao provável avanço do impeachment. Ele admitiu que vem conversando com vários deputados da base aliada. Em conversa com o blog, o presidente da Assembleia, Adriano Galdino (PSB), evitou polemizar o assunto. Ele disse que enviou o requerimento para a Procuradoria-Geral da Assembleia, com pedido para a elaboração de um parecer. Só após isso ele vai se pronunciar sobre o assunto. (*) Blog do Sutoni

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário