Operação Calvário: após denúncias, João Azevêdo exonera Edvaldo Rosas e Cláudia Veras

O Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (18) traz as exonerações de Cláudia Veras e Edvaldo Rosas. Ambos foram alvos da sétima fase da Operação Calvário – Juízo Final. A primeira, que deixa a Secretaria de Executiva de Desenvolvimento e da Articulação Municipal, foi presa preventivamente na fase atual da operação. O segundo, que deixa a Secretaria de Governo, foi alvo de mandados de busca e apreensão nesta terça-feira.

Cláudia Veras é acusada de ser peça chave no suposto esquema de corrupção que teria funcionado no governo durante gestões socialistas.  Ela comandava a Secretaria de Saúde do Estado quando teria ocorrido a maioria dos crimes relatados na denúncia formulada pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco). Ela teria contado, para isso, com o apoio da deputada Estela Bezerra (PSB). A parlamentar conseguiu, com o voto da maioria dos deputados estaduais, autorização para deixar a prisão nesta terça.

Já Edvaldo Rosas é apontado como beneficiário direto de propinas. A denúncia o coloca em patamar semelhante ao de Ivan Burity, o ex-secretário de Turismo, que deixou a cadeia recentemente após firmar acordo de colaboração premiada. A exoneração de Rosas foi feito a pedido. O agora ex-secretário é citado na investigação como ex-presidente estadual do PSB e, por isso, dono de bom relacionamento com os grupos políticos no Estado. *Blog do Suetoni


Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário