Processo seletivo da UPA Guarabira foi suspenso e servidor que saiu pode voltar

Fachada da UPA Guarabira. Foto: Reprodução. 
Informações dão que o processo seletivo realizado recentemente, para reorganização da estrutura de servidores na UPA Guarabira, foi suspenso nesta sexta-feira (29), e os funcionários que foram afastados estariam sendo convidados a retornar as suas respectivas funções na unidade de pronto atendimento guarabirense [será?].

Detalhes apontam que o diretor da unidade, Júnior Fernandes, através de comunicado, suspende a nova escala com o pessoal admitido, que estava aprontada para o mês que vem. Mas não fala em readmissão. Os novos servidores iriam iniciar os seus trabalhos no próximo dia 1º de dezembro.

“Comunicado

Venho informar que recebemos ofício suspendendo o processo seletivo do Instituto ACQUA. Desta forma as admissões previstas para o dia 1/12/2019 estão suspensas e teremos que aguardar as novas orientações, assim que obtivermos estas informaremos a todos.

Desde já agradeço a atenção. ”, postou o diretor

A seleção foi realizada pelo Instituto ACQUA, empresa parceira do Governo do Estado, a qual terceiriza atualmente os serviços da UPA na cidade. Após o processo observou-se que muitos servidores supostamente ligados a ala girassol Célio/Meireles (PSB) não foram aprovados, sendo demitidos, e tendo como selecionados, após aprovação, diversos profissionais possivelmente ligados a ala girassol do vereador-presidente da Câmara de Guarabira, Marcelo Bandeira (PSB).

Ainda não se sabe o motivo da suspensão do processo seletivo. E a 'queda de braço' no jardim dos girassóis guarabirense continua.

@RedaçãoPlugados

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário