Camila Toscano ressalta a importância do aleitamento materno e ressalta que a missão é da família

AGOSTO DOURADO Começou nesta quinta-feira (1º) a Semana Mundial de Aleitamento Materno. Durante todo mês de agosto a amamentação estará no foco, lembrada por meio da campanha do “Agosto Dourado”, que visa conscientizar a população para importância do aleitamento materno. A deputada estadual Camila Toscano aproveita a data para ressaltar que o processo de amamentação é papel de toda família e não apenas da mãe.

“O ato de amamentar é algo que coloca mãe e filho no papel principal do aleitamento. Porém, precisamos ter a consciência e plantar essa ideia de que a amamentação não é uma missão exclusiva da mulher, mas sim, de toda família. Pois, toda mulher que amamenta precisa de apoio, pelos desafios que enfrenta na fase inicial, pelas dificuldades que vivencia em gerenciar a casa porque precisa dedicar tempo para alimentar o bebê. Então, todo o processo que gira em torno do amamentar deve ser vivido em compartilhado com pai, avós e todos que partilham a vivencia diária da mãe”, destacou Camila.

Dados do Ministério da Saúde apontam que o aleitamento materno é a melhor fonte de nutrição infantil, além de ser capaz de reduzir em 13% a mortalidade infantil por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos de idade. O leite materno ainda protege crianças de doenças como diarreia, infecções respiratórias, alergias, reduz o risco da criança desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta.

“Amamentar é um ato que deve ser garantido a toda mãe e bebê com a certeza de que os envolvidos estão promovendo saúde, bem-estar, desenvolvimento adequado as crianças e, de certo modo, imunizando o bebê para problemas de saúde a curto e longo prazo. Mais do que fonte de nutrição, o leite materno também é sinônimo de vida, amor, dedicação e entrega”, afirma a deputada.

A parlamentar, que é presidente da Comissão dos Direitos da Mulher na Assembleia Legislativa da Paraíba, aproveitou a data para lembrar de mulheres que desejam amamentar, mas que por algum motivo que foge do seu próprio controle não podem garantir o leite materno. “Não podemos esquecer que existem casos em que as mães desejam amamentar seus filhos, mas por causas adversas não conseguem. Nesse sentido, a gente clama pelo apoio em doação de leite materno para que mais crianças possam ter acesso a esse alimento que gera tantos benefícios”, aconselha.

Mais informação – O Ministério da Saúde recomenda que crianças sejam amamentadas até os dois anos ou mais e de forma exclusiva até o sexto mês de vida. Já de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e Unicef, cerca de seis milhões de crianças são salvas a cada ano com o aumento das taxas de amamentação exclusiva até os seis meses de vida.

Assessoria
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário