Josa da Padaria é detonado por vereadores após dizer que existe ‘comodismo’ na CMG

Parlamentares passam em rosto momento em que o homem do pão precisou da câmara para aprovar as suas contas, reprovadas pelo TCE. 
Josa da Padaria - PSB (Foto: Divulgação). 
Os vereadores de Guarabira reagiram as investidas do ex-vice-prefeito da cidade, José Agostinho de Almeida – Josa da Padaria (PSB), durante a sessão da Câmara Municipal dessa terça-feira, 28. O socialista disse, sábado passado, em entrevista concedida ao repórter Rodrigo Sousa da Rádio Cultura FM, que existe um certo comodismo das atuais bancadas da Casa Osório de Aquino.

O rebate teve início quando a vereadora de oposição Michelle Paulino (PMDB) fazia uso da tribuna e trazia um breve relato em tom de desabafo de suas ações como parlamentar. Isso porque, segundo ela, uma pessoa teria lhe abordado no último sábado e dito que a câmara é omissa.

O primeiro a apartear a vereadora foi o situacionista Leonardo Macena (PPS), que disse ter Josa faltado com humildade, mas o alfinetou dizendo: “quem está apagado faz tudo para aparecer”.

Michelle disse a Macena que não se referia ao ex-vice-prefeito Josa da Padaria. Será?

Em seguida o seu colega emedebista, Saulo Fernandes, foi mais incisivo na sua reação: disse que ficou triste com Josa, que para ele, foi infeliz em dizer que a atual legislatura é acomodada.  Saulo lembrou do tempo em que Agostinho se encontrava em situação difícil, quando o Tribunal de Contas deu parecer pela reprovação das suas contas, de sete meses que ficou como prefeito do município em 2012. “Ele chegou choramingando de gabinete em gabinete, para que juntos pudéssemos, naquele instante, aprovar as suas contas e nós aprovamos”, passou em rosto o vereador.

Desta vez a vereadora Michelle disse a Saulo: “bem lembrado vereador! ”

Marcos de Enoque (PSDB) também aparteou a parlamentar e reforçou o que Saulo disse, e ainda acrescentou que Josa deve estar aprendendo com o 'chefe dele', se referindo ao presidente dos girassóis de Guarabira, o qual, cujo Marcos, teria dito, anteriormente, haver na CMG apenas um vereador, que seria seu colega de partido, Renato Meireles.

“Para voltar ao cenário político, não é preciso bater na Casa [CMG] e sim mostrar serviço. Ele falou o que não devia”, retrucou o tucano Tiago do Mutirão em seu aparte.

“O ex-vice-prefeito Josa foi de tamanha infantilidade”, avaliou o vereador Zé Ismai (PHS), que mesmo dizendo não estar ‘passando na cara’, completou: “essa casa era operante quando aprovou as contas dele e agora passou a não ser mais, só porque ele tem pretensões de voltar a concorrer a uma das cadeiras dessa casa. É esse o troco que ele nos dar? ” Questionou Ismai.

Josa da Padaria já foi vereador e assumiu o cargo de presidente e, segundo os revoltados edis, o socialista deveria se retratar com a atual bancada daquele parlamento.

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário