Vídeo mostra momento em que professora morre em acidente de moto, em CG

Circuito de segurança de uma das casas flagrou quando a caminhonete bate na moto e os dois ocupantes são lançados ao solo. 
As câmeras do circuito de segurança de uma residência filmaram o momento em que uma professora de 35 anos de idade entra para a estatística das mortes de trânsito da Paraíba. O acidente aconteceu na tarde desta terça-feira (12), no cruzamento das ruas Martins Júnior e Rio Grande do Sul, no bairro da Liberdade, em Campina Grande. As imagens mostram Cristine Oliveira de Alencar sendo arremessada após a colisão.

Além da vítima fatal, o piloto da motocicleta também aparece no vídeo. Diego Souza Ferreira ainda tenta se levantar após a pancada, mas se deita minutos depois por causa das dores. Ambos foram atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. No entanto, a mulher não resistiu.

Cristine Oliveira era professora de uma escola particular de Campina Grande. Em seu perfil nas redes sociais, o colégio onde a vítima trabalhava publicou uma nota de pesar e informou que não haverá aula na instituição nesta quarta-feira (13), tendo as atividades retomadas apenas na quinta-feira (14) pela manhã. O enterro da professora deve acontecer nesta quarta-feira.

No local onde aconteceu o acidente foi realizado um protesto pelos moradores da localidade por causa da grande quantidade de acidentes naquela via. O cruzamento foi totalmente fechado e só após um diálogo com os agentes da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), o fluxo foi liberado. A STTP se comprometeu em instalar redutores de velocidades naquela região.

De acordo com a Companhia de Policiamento de Trânsito (Cptran) da Paraíba, a motocicleta que levava Cristine Oliveira de Alencar desrespeitou a sinalização e causou o acidente. O motorista da caminhonete ficou no local para prestar socorro aos feridos. Só carnaval, o Hospital de Trauma de Campina Grande atendeu 142 pacientes vítimas de acidente com motocicleta. Em 2018, a unidade hospitalar gastou R$ 1 milhão por mês com os motoqueiros acidentados.




OP9/João Brandão Neto

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário