'Operação Calvário': Pedro lamenta que dinheiro da saúde tenha sido usado para montar organização criminosa

Deputado federal Pedro Cunha Lima (Foto: Divulgação / Assessoria). 
O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) lamentou nesta terça-feira (12) que falte dinheiro do Governo do Estado para investir em instituições que cuidam das pessoas, a exemplo da Apae, mas que sobre para o desvio como no caso desvendado pela Operação Calvário, envolvendo a Organização Social Cruz Vermelha.

“Ontem, presenciei a falta de recurso na APAE. Hoje, vejo mais uma matéria nacional sobre o desvio do Governo de Ricardo Coutinho com recursos da saúde pública da Paraíba. Fazer uma organização criminosa com recursos da saúde... É duro. A propina de 900 mil reais, entregue na caixa de vinho, é mais do que a APAE em João Pessoa recebe por ano do Poder Público”, destacou o deputado, comentando matéria publicada pelo Estado de São Paulo, nesta terça-feira (12), sobre o assunto.

O texto  diz que um ex-assessor do governo da Paraíba afirmou, em depoimento, ter recebido R$ 900 mil em propinas da Cruz Vermelha em nome da secretária de Administração, Livânia Farias. Segundo o ex-funcionário, homem de confiança da chefe da pasta, ela ainda teria comprado uma casa de R$ 400 mil na cidade de Sousa com o dinheiro.

Doação – Durante visita a Apae em João Pessoa, o deputado se mostrou triste com o descaso do Poder Público com o terceiro setor. De acordo com ele, é preciso potencializar essa área, treinar, capacitar, dar apoio financeiro e estimular voluntários nas mais diversas causas. Na ocasião, o deputado fez uma doação de parcela do auxílio-mudança.

“Conversei um pouco mais sobre a emenda de 300 mil reais que colocamos e, infelizmente, não por culpa da APAE, não conseguimos executar, e me comprometi em acompanhar de perto as demandas e desafios. É uma causa que merece a soma de cada um. Inclusive, houve uma diminuição das doações... Vamos tentar reverter isso”, afirmou Pedro.


Assessoria de Imprensa

Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário