Header Ads


Aliados antecipam 'anúncio' de Haddad como candidato em ato na capital paulista

A pedido de Lula, o ex-prefeito não foi ao evento e continuou em Curitiba, onde a cúpula petista deve confirmá-lo como candidato após reunião nesta terça-feira

a véspera do prazo final para o PT registrar o substituto do candidato da legenda à Presidência nas eleições 2018, coube a partidos e movimentos aliados anunciarem informalmente, nesta segunda-feira, 10, Fernando Haddad como o substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - condenado e preso na Operação Lava Jato - na disputa.

Em ato organizado na capital paulista pela campanha do candidato Luiz Marinho ao governo de São Paulo, líderes do PCdoB, do PROS e da União Nacional dos Estudantes (UNE) discursaram defendendo a efetivação de Haddad como candidato e da deputada gaúcha Manuela D'Ávila (PCDoB) como candidata a vice. Durante o encontro, foi lida uma carta escrita pelo ex-presidente.

"Minha voz é a voz de Fernando Haddad e de todos os companheiros em nossa jornada destemida para resgatar a dignidade nacional", afirmou Lula na mensagem. Ele também disse que sua voz é a de Luiz Marinho, e dos demais candidatos na coligação petista no Estado.

Na mensagem lida pelo ator Sérgio Mamberti, Lula conclamou a militância para trabalhar nas próximas semanas até o primeiro turno das eleições 2018. No PT, há uma preocupação com o tempo para a transferência de votos de Lula para Haddad.

"Vamos arrancar para a vitória nessas quatro semanas, vamos firmar nesta noite esse compromisso de luta", declarou o ex-presidente, que ainda disse sentir que seu coração estava batendo em cada militante.

A pedido de Lula, Haddad não foi ao evento e continuou em Curitiba, onde a cúpula petista deve confirmá-lo como candidato após reunião nesta terça-feira, 11. Manuela e a esposa de Haddad, Ana Estela, participaram do ato.

"Nosso time está montado com Haddad e Manuela. Nas próximas três semanas e meia o único caminho que temos é convencer o povo que as saídas são nossas ideias programáticas", discursou o vice-presidente nacional do PCdoB Walter Sorrentino.

Na sequência, o secretário de Organização do PROS em São Paulo, Cacá Camargo, afirmou que o partido fechou com o PT na campanha presidenciável para estar com Haddad e Manuela. "Estamos juntos com Haddad e Manuela. O PROS vai estar com vocês", discursou.

"Se não deixarem Lula ganhar a eleição, nós vamos ganhar a eleição com Haddad e Manuela", declarou a presidente da UNE, Marianna Dias.

A discursar pelo PT, o ex-ministro e vice-presidente nacional da legenda Luiz Dulci saudou Ana Estela como "esposa do nosso candidato."

No palco, a campanha de Marinho deixou uma cadeira vazia destinada a Lula. O candidato chamou Thiago Trindade, um dos netos do ex-presidente, para sentar no lugar. Militantes distribuíram materiais defendendo a liberdade do ex-presidente e militantes gritaram "Lula livre" no ato. (Estadão Conteúdo)

Terra

Nenhum comentário